Fonte: OpenWeather

    Caso Heloísa


    Após dois meses, laudo aponta que Heloísa teve morte lenta e dolorosa

    Segundo laudo de necropsia, Heloísa teve possivelmente os cabelos cortados e as unhas postiças arrancadas

    Heloísa foi assassinada no dia 15 de dezembro de 2019 e o principal suspeito, Michael Saboia, segue foragido | Foto: Divulgação

    Manaus - Completando dois meses do corpo encontrado da estudante de 17 anos, Heloísa Medeiros da Silva, em um casarão na rua Miranda Leão, bairro Centro, Zona Sul de Manaus, o laudo de necropsia do Instituto Médico Legal (IML-AM) divulgado para os familiares nesta semana, aponta que a jovem sofreu fortes torturas antes de morrer.

    De acordo com os peritos no laudo, a vítima apresentava variações de comprimentos nos fios de cabelo. Umas partes com fios longos e outras com fios curtos, apontando que Heloísa teve o cabelo cortado. O que em muitos casos parecidos, os torturadores cortam os cabelos das vítimas com o intuito de humilhá-las.

    O laudo aponta também que foi encontrada "uma fina camada de substância branca endurecida” encobrindo as unhas de Heloísa. Somando a isso, os peritos também encontraram "lesões escoriativas nas extremidades distais das polpas digitais das mãos", ou seja, o suspeito pode ter provavelmente arrancado as unhas postiças que Heloísa usava – acessório estético comum entre as mulheres.

    Os peritos também informaram no laudo que Heloísa foi encontrada apenas com roupa íntima inferior, o que se assemelhava aos casos em que os torturadores deixam a vítima nua ou seminua com o intuito de humilhar e expor o corpo. Além disso, foi informado no laudo também que Heloísa apresentava sinais de estrangulamento. Com lesões no corpo e principalmente no rosto.

    Clamor por justiça 

    Os familiares da adolescente clamam por justiça a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) para realizarem a prisão do principal suspeito: Michael Saboia de Souza, de 19 anos, que permanece foragido. 

    Michael Saboia permanece foragido
    Michael Saboia permanece foragido | Foto: Divulgação

    Segundo o tio de Heloísa, Fábio Medeiros, com o laudo em mãos tiveram as suspeitas concretizadas.

     “Tudo o que está escrito lá é a verdade. Nós já sabíamos o que ele [Michael Saboia] tinha feito, o que lemos foi só para confirmar na brutalidade que foi cometida com a Heloísa. Ela sofreu bastante. Não tem mais o que investigar. Agora o que nos resta é aguardar a prisão do criminoso. Queremos justiça”, declarou Fábio.

    O Portal EM TEMPO solicitou uma nota da Polícia Civil a respeito das investigações do homicídio e aguarda o posicionamento.

    Relembre o caso

    Heloísa desapareceu no dia 12 de dezembro, quando deixou uma casa noturna no bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul de Manaus, acompanhada de Michael Saboia. A família informou à imprensa que não conhecia o homem e que acreditava que ele era amigo ou namorado da adolescente. 

    O corpo da vítima foi encontrado na madrugada do dia 15 de dezembro em um casarão pertencente à avó de Michael. O imóvel fica localizado na rua Miranda Leão, no bairro Centro, Zona Sul, onde o corpo da adolescente estava seminu e com sinais de estrangulamento, além de indícios de tortura, pois a adolescente teve as unhas arrancadas e os cabelos cortados.