Fonte: OpenWeather

    Irmãos espancados


    Irmãos são espancados e um morre com dois tiros após receberem ligação

    A ligação misteriosa foi na noite desta segunda-feira (2), os irmãos foram espancados e torturados. Um deles morreu após ser baleado na cabeça.

    Os irmãos foram torturados e baleados. Um segue em estado grave e o outro morreu no local.
    Os irmãos foram torturados e baleados. Um segue em estado grave e o outro morreu no local. | Foto: Kennedson Paz e Divulgação

    Manaus -  Um homem identificado como João Edson Tavares da Silva, de 23 anos, foi assassinado com dois tiros na cabeça, na avenida Praia do Futuro, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus. O crime ocorreu na  noite de segunda-feira (2), após Edson e o irmão receberem uma ligação e saírem de casa.

    Conforme investigações da polícia, os suspeitos ligaram para os irmãos eles pra irem buscar drogas drogas. Logo em seguida pegaram as duas vítimas em frente a casa deles no bairro Campos Sales, Zona Oeste e os levaram para o local da execução.

    Os jovens foram amarrados, espancados e atingidos com tiros na cabeça. O nariz e os dentes de João foram quebrados com a intensidade das agressões que sofreu, porém, o irmão dele,  Leandro Tavares da Silva, de 19 anos, conseguiu sobreviver depois de simular estar morto. 

    Horas mais tarde, Leandro foi encontrado ainda com vida, socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado ao Hospital e Pronto Socorro (HPS) João Lúcio, situado na avenida Cosme Ferreira, bairro Coroado, Zona Leste. O jovem segue internado em estado grave.

     O caso será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS)
    O caso será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) | Foto:

    Após o fato, uma equipe da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), foi acionada e o delegado plantonista Guilherme Antoniazzi, informou que as investigações estão em curso. “O celular de um deles tocou, saíram de casa e não voltaram. Os familiares ficaram sabendo onde estariam. Vamos um levantamento para saber quem são os suspeitos, se estavam sendo ameaçados e localizar essas pessoas o mais rápido possível”, explicou Antoniazzi.

    No local do crime, os familiares disseram para a polícia que as vítimas eram apenas usuários de drogas e não tinham passagens pela polícia. No entanto, o delegado informou que essas informações serão analisadas.

    Uma equipe do Departamento de Polícia Técnico Científica (DPTC), recolheu as cordas que foram utilizadas para imobilizar as vítimas e encontrar possível material genético dos autores.

    O corpo foi recolhido por agentes do Instituto Médico Legal (IML), que o encaminharam à sede do instituto para os procedimentos legais.


    www.emtempo.com.br, maior portal de conteúdos do Amazonas. 

    Fale com a redação: [email protected]