Fonte: OpenWeather

    Revolta


    'Catita' é amarrado e espancado após cortar rosto de deficiente no AM

    Conforme a polícia, suspeito é bastante conhecido em Coari pelas práticas criminosas. Em 2018, ele já havia sido preso acusado de torturar até a morte um idoso de 85 anos

    Mãe da vítima registrou Boletim de Ocorrência no DIP de Coari
    Mãe da vítima registrou Boletim de Ocorrência no DIP de Coari | Foto: Arquivo pessoal

    Coari - Após tentar roubar um relógio de um deficiente mental e cortar o rosto da vítima com uma pedra, Egnaldo Silva de Souza, de 25 anos, conhecido como "Catita", foi capturado pela população, amarrado em um poste e agredido em praça pública. O caso aconteceu na última terça-feira (17), em Coari, a 362 quilômetros de Manaus. 

    Vídeos divulgados na redes sociais mostram a revolta da população, que usou pedaços de madeiras para agredir o suspeito. "Catita" foi amarrado com fios e ainda recebeu socos e chutes.

    Conforme a polícia, suspeito é bastante conhecido em Coari pelas práticas criminosas que realizava na cidade. Em 2018, ele já havia sido preso acusado de torturar até a morte um idoso de 85 anos, no sítio em que a vítima morava, situado na estrada do município. A motivação para o crime, segundo informou a Polícia Militar na época, foi vingança. O suspeito teria sido expulso de casa pelo idoso.

    Após receber a série de agressões, "Catita" foi conduzido por policiais do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) até a Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Coari, onde a mãe do deficiente mental registrou o Boletim de Ocorrência (BO) contra ele.

    O suspeito segue detido na delegacia à disposição da Justiça.

    Veja a revolta da população 

    Após receber a série de agressões, o suspeito foi levado para delegacia | Autor: Divulgação