Fonte: OpenWeather

    Crime


    Cabo da PM é morto na casa da namorada ao reagir assalto, em Manaus

    O cabo foi atingido com duas facadas, uma no tórax e outra no pescoço. Ele ainda foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos

    Imagens mostram os criminosos saindo da residência do PM | Autor: Divulgação
     

    Manaus – O cabo da Polícia Militar (PM) Adeilson de Oliveira Pinheiro, de 35 anos, foi morto com duas facadas após ter reagido a uma tentativa de assalto durante a madrugada de quinta-feira (19), dentro do apartamento da namorada, localizada na travessa B7, bairro Cidade do Leste, Zona Leste de Manaus.

    Conforme informações da namorada da vítima à polícia, os suspeitos tentaram invadir o apartamento. Adielson percebeu a situação e reagiu ao assalto. Ele chegou a travar luta corporal com os suspeitos. Entretanto, durante a ação, ele foi atingido com duas facadas, sendo uma no tórax e outra no pescoço. A mulher ainda tentou ajudar o namorado, mas foi agredida com um capacete na cabeça.

    Câmeras de segurança de residências filmaram parte da ação dos criminosos. Os suspeitos chegaram ao local em uma motocicleta de modelo Titan 160, na cor branca, com os paralamas e carenagem do painel azul.

     Um deles se aproximou da vila, onde a vítima morava, e disfarçou para não ser percebido. Em seguida, um deles pula o moro e o comparsa ficou aguardando do lado de fora, dando cobertura. 

    Outras imagens, repassadas à equipe do Portal EM TEMPO, mostram o momento em que os dois fogem do local.  

     Segundo relatos de vizinhos do PM, depois do fato, a mulher gritou para os outros vizinhos pedindo socorro. Pouco tempo depois, viaturas da Polícia Militar estiveram no local e encaminharam o militar para o Hospital e Pronto-Socorro (HPS) João Lúcio, situado na avenida Cosme Ferreira, bairro Coroado, Zona Leste. 

     Embora tenha sido atendimento de imediato na unidade médica, o cabo Adielson não resistiu aos graves ferimentos e morreu nas primeiras horas da manhã de hoje.

    Conforme informações de vizinhos e amigos da vítima, os criminosos teriam tentado entrar em outros apartamentos antes de matar o PM.

    O PM ainda foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos
    O PM ainda foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos | Foto: Kennedson Paz

     “Tentaram invadir outros três apartamentos na vila, que também eram de policiais. Adielson estava com problemas no ar condicionado do apartamento dele e desceu para dormir na casa da namorada”, explicou um morador, que não quis ser identificado.

     Ainda segundo os relatos, o bairro sempre foi perigoso e já passou por situações semelhantes. “A minha casa já foi invadida por criminosos. Eles levaram tudo e ainda deixaram eu e minha família amarrados”, finalizou. 

    Desejo por Justiça 

    “Ele era muito tranquilo, não vejo o motivo de terem matado meu amigo. Invadiram a casa dele e o mataram covardemente. Ele prestava serviço para a sociedade e acontece isso. Por favor, eu quero Justiça”, disse Joyce de Jesus, amiga da vítima. 

    Joyce explicou, ainda, durante entrevista, que a vontade do militar era sair da corporação. “Essa semana a gente se comunicou. Foi o aniversário da minha filha e ele não pôde ir. Ele estava formando no curso de direito e tiraram isso dele. Também tinha planos em sair da corporação quando finalizasse o curso”, ressaltou a jovem.

    Um amigo da vítima, comentou no hospital que sempre pediam para ele mudar de bairro, pois era o mesmo local onde trabalhava e tinham medo do que poderia acontecer. 

    “Ele era muito gente boa, tranquilo, conversava muito comigo. Só veio morar em manaus porque passou no concurso no ano de 2008. A gente falava muito com ele para sair do bairro, mas ele sempre dizia que gostava do local, dos amigos e que era mais próximo ao seu trabalho", finalizou o homem.