Fonte: OpenWeather

    Agressão


    Mais um suspeito de assalto é agredido até a morte no Jorge Teixeira

    Uma testemunha informou aos policiais que o homem havia roubado um supermercado e um carro no bairro e agredido por um grupo de pessoas

    O crime aconteceu na avenida Itaúba
    O crime aconteceu na avenida Itaúba | Foto: Kennedson Paz

    Manaus - Mais um suspeito de assalto foi estrangulado e agredido até a morte no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus. O fato aconteceu na noite de quarta-feira (25), na avenida Itaúba.  Ele ainda não foi identificado e aparenta ter entre 30 a 35 anos.

    Testemunhas relataram à polícia que o homem estava praticando assaltos na área e foi capturado por um grupo de pessoas. Depois de ter sido espancado e estrangulado, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado para a ocorrência e prestou os primeiros socorros no local. 

    Devido ao estado de saúde crítico, por conta das agressões, o homem precisou ser encaminhado para o Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Platão Araújo. No entanto, por volta de 22h15, não resistiu aos ferimentos e morreu. 

    Uma equipe da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), responsável pela investigação, esteve na avenida Itaúba, mas não encontrou o grupo suspeito de praticar o crime. Uma testemunha informou aos policiais que o homem havia roubado um supermercado e um carro no bairro. Isso teria sido o motivo do assassinato.

    O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML). Até o início da manhã desta quinta-feira (26) nenhum familiar havia comparecido à sede do Instituto para fazer o reconhecimento do homem.

    Outro caso 

    No último sábado (21), um jovem, aparentando ter entre 18 a 25 anos, foi espancado e apedrejado até a morte, também no Jorge Teixeira, na rua Belford Roxo.

    De acordo com a polícia, o homem era supostamente um assaltante, que vinha aterrorizado moradores do bairro há algum tempo.

    Moradores relataram à polícia que o homem foi capturado e arrastado por um grupo de pessoas e, em seguida, espancado e apedrejado. Devido as pedradas, o rosto do homem ficou desfigurado. A DEHS também investiga esse caso.