Fonte: OpenWeather

    Foragido


    Após tentar assaltar PM, suspeito é morto e comparsa foge do local

    De acordo com os registros do Instituto Médico Legal (IML), o rapaz tem entre 25 a 30 anos de idade e no momento do crime estava trajando uma blusa azul e short azul

    | Foto: divulgação

    Manaus - Um homem foi morto nesta segunda-feira (20), após tentar roubar o veículo de policial militar, por volta das 21h30, na Avenida Tefé, bairro Raiz, Zona Sul de Manaus. O policial reagiu tomando a arma do suspeito e efetuando os disparos.

    A 3ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foi acionada para atender a ocorrência depois que ouviram os disparos. Segundo o delegado plantonista da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Fabio Silva, dois suspeitos abordaram o PM na tentativa de assalto. 

    "Os indivíduos abordaram para levar seus pertences, foi quando o policial militar acabou travando luta corporal com os criminosos, ao tentar se defender efetuou alguns disparos, atingindo um dos suspeitos que veio a óbito no local, o outro conseguiu fugir", afirmou Silva.

    O delegado também informou que “as buscas pelo comparsa serão realizadas para dar continuidade às investigações” e afirmou que o homem que morreu teria o apelido de ‘Neguinho’, mas estava sem documentação.

    De acordo com os registros do Instituto Médico Legal (IML), o rapaz tem entre 25 a 30 anos de idade. No momento do crime, o indivíduo estava trajando uma blusa azul e short azul, o mesmo possui tatuagens escrito "Fé" no pescoço, diamante com asas na garganta e caveira no braço esquerdo.

    Os dois homens continuam sem identificação e, ainda conforme as informações do delegado, as buscas estão sendo feitas para tentar encontrar o segundo suspeito nas proximidades do local, pois, os indivíduos já teriam cometidos outros assaltos nas proximidades.

    O Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) fez o isolamento da área para evitar aproximação de curiosos. Em depoimento no local, o proprietário do carro informou que agiu em legítima defesa.

    *Colaboração Maria Eduarda Oliveira