Fonte: OpenWeather

    Tiroteio


    Trio sequestra motorista de app e morre ao trocar de tiros com a Rocam

    O motorista foi baleado no momento do tiroteio e segue internado

    Material apreendido com os suspeitos
    Material apreendido com os suspeitos | Foto: Divulgação

    Manaus - Três homens morreram após trocarem tiros com policiais da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam). A ação aconteceu após os criminosos assaltarem e sequestrarem um motorista de aplicativo, que também foi baleado e segue internado. O fato aconteceu no fim da tarde da última terça-feira (21), na Zona Oeste de Manaus. 

    Conforme a polícia, a ação começou após quatro suspeitos solicitarem uma corrida por aplicativo e na hora do embarque anunciaram o assalto. Após isso, a vítima, que não teve a identidade revelada, foi amarrada e colocada no banco de trás do carro, modelo Siena, de cor preta. Um dos bandidos começou a conduzir o veículo.

    A Rocam foi acionada por testemunhas na região do Parque São Pedro, Zona Oeste, e deu início às buscas. Quando os policiais estavam se aproximando do carro, os criminosos tentaram fugir.

    Na ocasião, começou o tiroteio. Sem conhecer o lugar, o quarteto entrou em uma rua sem saída e foi rendido pela polícia. Três suspeitos foram baleados, além do motorista. 

    Todos foram socorridos e levados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no Campos Sales, mas devido aos ferimentos foram encaminhados para Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na Zona Centro-Sul, mas morreram a caminho da unidade hospitalar. Já o motorista segue internado.

    Dos três, dois foram identificados: Jackson Davi Farias, de 18 anos, e Julinei Gomes, de 24 anos. O terceiro segue sem identificação. 

    As buscas estão sendo feitas pela polícia para tentar localizar o quarto suspeito, que conseguiu fugir por uma área de mata perto do local onde foram rendidos.

    Material apreendido 

    No carro, a polícia encontrou um revólver calibre 38, com três munições deflagradas e três intactas, além de outro calibre 22 com uma munição deflagrada, um simulacro de pistola, além de 12 celulares e R$ 207