Fonte: OpenWeather

    Homicídio


    Mais de 4 meses após crime, suspeito de matar Heloísa continua solto

    O Inquérito Policial do caso já foi remetido à Justiça, mas Michael Saboia de Souza permanece foragido

    Michael Saboia de Souza é apontado como autor do crime
    Michael Saboia de Souza é apontado como autor do crime | Foto: Divulgação

    Manaus - Mais de 4 meses após o encontro do corpo da estudante de técnico em enfermagem Heloísa Medeiros da Silva, que tinha 17 anos, ocorrido no dia 15 de dezembro de 2019, o caso continua sem solução. Familiares da vítima continuam clamando por respostas sobre o caso e pela prisão do principal suspeito do crime: Michael Saboia de Souza, de 19 anos, que permanece foragido. A adolescente foi encontrada seminua, com várias marcas de tortura e sinais de estrangulamento.

    O tio da vítima, Fábio Medeiros relatou ao Em Tempo que a família está indignada por saber que tantos meses após a morte da adolescente, o suspeito do crime ainda continua solto.

    “Até agora esse homem continua impune, dando voltas por onde bem entende. Sabemos que a polícia está atrás dele, mas mesmo assim nos sentimos indignados por ele não estar pagando pela forma que tirou a vida da minha sobrinha. Ele fez ela sofrer antes de partir. Isso é inaceitável, e o que desejamos é que esse homem seja preso”, relatou o familiar.

    O suspeito está sendo procurado pelas equipes da DEHS
    O suspeito está sendo procurado pelas equipes da DEHS | Foto: Divulgação

    O principal pedido da família é a divulgação da imagem do suspeito. “Conseguimos novas fotos dele, em melhor qualidade. Clamamos pelo apoio das pessoas de bem. Caso alguém veja esse homem, por favor, liguem para a polícia”, pediu Fábio.

    Tortura

    Heloísa Medeiros tinha apenas 17 anos
    Heloísa Medeiros tinha apenas 17 anos | Foto: Divulgação

    De acordo com o laudo de necropsia, o corpo da adolescente apresentava variações no comprimentos nos fios de cabelo. Umas partes com fios longos e outras com fios curtos, apontando que Heloísa teve o cabelo cortado.

    O laudo aponta também que foi encontrada "uma fina camada de substância branca endurecida” encobrindo as unhas de Heloísa. Somando a isso, os peritos também encontraram "lesões escoriativas nas extremidades distais das polpas digitais das mãos", ou seja, o suspeito pode ter provavelmente arrancado as unhas postiças que Heloísa usava – acessório estético comum entre as mulheres.

    Investigações

    O Em Tempo questionou a Polícia Civil do Amazonas sobre o andamento das investigações em torno do caso. Em nota, o órgão respondeu que, de acordo com a delegada Zandra Ribeiro, adjunta da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o Inquérito Policial (IP), instaurado na especializada para apurar as circunstâncias da morte da adolescente Heloísa Medeiros da Silva, foi concluído e remetido à Justiça, tendo como autor Michael Saboia de Souza.

    A delegada informou que, até o momento, o suspeito não foi encontrado e que as diligências seguem em andamento com intuito de encontrar e prender Michael.