Fonte: OpenWeather

    covardia


    Após bebedeira homem é morto com 7 facadas enquanto dormia em Manaus

    Um vizinho da vítima foi preso suspeito de cometer o homicídio

    O autônomo recebeu sete facadas, que atingiram o pescoço, peito e braços
    O autônomo recebeu sete facadas, que atingiram o pescoço, peito e braços | Foto: Arquivo Pessoal

    Manaus - O autônomo Germano de Melo Pontes, 54 anos, foi morto com, pelo menos, sete facadas na noite deste sábado (25). O crime aconteceu dentro da casa da vítima, localizada na rua Peixe Cavalo, comunidade União da Vitória, bairro Tarumã (Zona Oeste). O vizinho dele, identificado apenas como Vanderlan, foi preso como suspeito de cometer o homicídio. 

    Testemunhas relataram ao portal EM TEMPO, que a vítima e o suspeito estavam consumindo bebidas alcoólicas na companhia de outros amigos, quando ocorreu um desentendimento entre os dois. “O Germano foi revidar as ofensas que estava sofrendo. Vanderlan não gostou de ser xingado e passou a fazer ameaças”, contou um pedreiro de 44 anos, colega da vítima. 

    Ainda conforme as testemunhas, depois da breve discussão o suspeito deixou o local e retornou por volta das 19h. A vítima que já estava sob o efeito do álcool dormia em um cadeira, quando foi esfaqueada. 

    No total, o autônomo recebeu sete facadas, que atingiram pescoço, peito e braços. Ele morreu na hora dentro da própria residência. 

    "O Vanderlan não deu nenhuma chance para o Germano se defender, atacou ele de forma brutal e covarde", desabafou o amigo. 

    Após cometer o crime, o suspeito se escondeu dentro de um igarapé, debaixo do assoalho da casa dele, no mesmo bairro. Ele foi encontrado por policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) durante os trabalhos iniciais de investigação. 

    Revoltada com a forma banal que perderam o ente querido, familiares do autônomo pedem por Justiça. "Meu irmão não era de brigar, nunca fez mal a ninguém e também não teve chance de lutar pela vida. Esperamos que esse assassino fique preso por muito tempo", clamou a irmã de Germano, uma dona de casa de 44 anos. Vanderlan permanece detido na sede da DEHS.