Fonte: OpenWeather

    Assalto


    Morre motorista de app baleado em assalto e que estava com Covid-19

    O assalto aconteceu no dia 21 deste mês. Um vídeo gravado pela esposa da vítima registrou o momento em que ele teve atendimento médico negado em unidade hospitalar

    O motorista de app morreu na manhã desta quarta-feira (29)
    O motorista de app morreu na manhã desta quarta-feira (29) | Foto: Divulgação

    Manaus -  O motorista de aplicativo Jonilson Moreira de Oliveira, de 36 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (29), no Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio Pereira Machado, no bairro Coroado, Zona Leste de Manaus. O homem foi baleado no dia 21 deste mês durante um assalto no qual foi feito refém. O caso terminou em tiroteio entre bandidos e policiais da Rocam na comunidade Parque São Pedro, no bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus. Quatro dias após o crime, ele foi diagnosticado na unidade hospitalar com Covid-19.

    Um vídeo gravado pela esposa dela ganhou repercussão nessa semana. Nas imagens ela implora por atendimento e por um leito de UTI para o motorista de app. 

    Assalto

    No dia do assalto, quatro homens solicitaram uma corrida por aplicativo e, ao entrem no veículo, anunciaram o assalto. Segundo a polícia, Jonilson foi colocado no banco de trás  após ser amarrado. Uma testemunha acionou a Polícia Militar, que conseguiu localizar o carro. O veículo estava sendo conduzido por criminosos e eles tentaram fugir. 

    Um tiroteio aconteceu e o motorista e os criminosos ficaram baleados após os suspeitos entrarem em uma rua sem saída. A caminho de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), o criminoso baleado não resistiu. Dois homens foram presos e um conseguiu fugir por uma área de mata. 

    A esposa do motorista contou ao Em Tempo que, após ser submetido a uma cirurgia na UPA, o Jonilson foi internado no HPS João Lúcio e foi lá que a família acredita que ele adquiriu a doença.

    Vídeo

    Após o disgnóstico e ao notar a situação de descaso com o marido, Mykaela Jardim gravou um vídeo revoltada com as condições de atendimento .

    "Ele é pai de família e levou um tiro trabalhando. Ele é pai de família", gritou. 

    Com a repercussão do vídeo, a direção do Hospital Pronto-Socorro João Lúcio informou que o paciente estava em um leito na sala de Observação I, recebendo todos os cuidados necessários, sendo acompanhado por equipe multidisciplinar clínica, cirúrgica e de enfermagem. O estado de saúde dele era estável, mas piorou nas últimas horas.

    A direção ressaltou ainda que, pelos relatos, o paciente apresentou os sintomas de síndrome gripal no início de abril, e portanto antes de dar entrada na unidade. Pelo teste rápido realizado no Pronto Socorro, pode-se verificar que o perfil imunológico encontrado é compatível com COVID-19 em fase de recuperação.

    O motorista acabou falecendo por volta das 8h45 da manhã desta quarta-feira (29). O Instituto Médico Legal (IML) realizou a remoção do corpo e consta como causa médica da morte: septisemia, trauma penetrante de tórax, agressão com arma de fogo e trauma raqui-medular.  

    Veja o vídeo feito pela esposa do motorista: