Fonte: OpenWeather

    Encontro de Cadáver


    Filha volta em mata e encontra restante dos ossos que podem ser da mãe

    A primeira parte da ossada foi encontrada no final da tarde de quarta-feira (29). Ao lado estavam documentos da manicure Maria do Perpétuo Socorro da Silva Maia, que desapareceu em fevereiro

    Os restos mortais foram removidos pela equipe do IML
    Os restos mortais foram removidos pela equipe do IML | Foto: Suyanne Lima

    Manaus - Familiares da manicure Maria do Perpétuo Socorro da Silva Maia, de 49 anos, encontraram nesta quinta-feira (30), partes da ossada humana que foi localizada no fim da tarde de quarta-feira (29), na estrada da Praia Dourada, no bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus. 

    A filha da Manicure, Sabrina Maia, de 27 anos, disse que a família voltou ao lugar pra procurar pertences pessoais e o restante da ossada, pois na quarta (29) haviam encontrado apenas a caixa craniana, o fêmur e alguns ossos. 

    “Hoje fiz o exame de DNA para daqui há dois ou três meses recebermos o resultado para confirmar se é ela realmente. Ontem não removeram toda ossada e acionamos as equipes para virem ao local. Queremos sabe porque que eles não tiraram tudo ontem. Se a gente não viesse aqui iria ficar aí e poderiam dizer que era outro corpo”, disse Sabrina.

    A manicure tinha 4 filhos
    A manicure tinha 4 filhos | Foto: Arquivo Pessoal

    A mulher confirmou que todos os pertences encontrados no local, como documentos, peças de roupa, bolsas pertenciam à manicure, que tinha quatro filhos. 

    A emoção tomou conta de familiares que estavam no local
    A emoção tomou conta de familiares que estavam no local | Foto: Suyanne Lima

    “Eu quero Justiça. Minha mãe não é nenhum animal. Ela não merecia esse fim trágico. Ela era mãe de família e nós já temos um suspeito. Não podemos falar, mas quero pedir Justiça pela minha mãe. Pegaram ela e desovaram nesse local. A minha mãe era uma trabalhadora”, argumentou.

    Perícia

    A equipe do Departamento de Perícia Técnico-Científica (DPTC) esteve no local para atender a ocorrência e informou que, nesta quinta-feira (30), foram removidos 31 ossos. Já ontem foram (53) e ainda faltam 123, dentre eles, os ossos das mãos. Pelo estado em que estavam os ossos, animais podem ter espalhado os restos mortais na área de mata. 

    O Instituto Médico Legal (IML) esteve no local e removeu a ossada. O caso deverá ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). 

    Acompanhe a reportagem no local da ocorrência: