Fonte: OpenWeather

    Exigências


    'Queremos falar com o Valois', exigem presos durante rebelião no AM

    O juiz juiz da Vara de Execuções Penais (VEP) Luís Carlos Valois negociou o fim da rebelião, em 2017, no Compaj

    | Autor: Divulgação
     

    Manaus - O clima segue tenso na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), na Zona Leste de Manaus. Os internos, que iniciaram uma rebelião no começo da manhã deste sábado (2), gravaram um vídeo pedindo a presença  do juiz da Vara de Execuções Penais (VEP, Luís Carlos Valois. 

    No vídeo, de 34 segundos, os presos gritam em coro: "Quero falar com Valois, queremos falar com o Valois". O juiz foi o responsável por negociar o fim da rebelião de 2017, no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), que terminou na morte de, ao menos, 60 presidiários.

    A rebelião teve início durante a entrega do café da manhã. Eles serraram a grade de duas celas e atearam fogo em colchões. Segundo informações da polícia, pelo menos sete agentes penitenciários estão sendo feitos refém e os presidiários prometem executar um massacre na UPP, caso os pedidos não sejam atendidos. 

    Os presidiários com uma bandeira improvisada com a sigla do CV
    Os presidiários com uma bandeira improvisada com a sigla do CV | Foto: Yasmin Feitosa

    Os presidiários aparecem em cima de muros e em caixas d'água da unidade, com uma "bandeira", improvisada com lençol, com a sigla da facção criminosa Comando Vermelho "CV".

    Reforço

    O Grupo de Intervenção Penitenciária (GIP) e forças de segurança da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) - Rocam, COE, Batalhão de Choque, Companhia de Cães - estão no local e já iniciaram as negociações.