Fonte: OpenWeather

    Sequestro


    Adolescente é torturada e tem couro cabeludo arrancado em Manaus

    A vítima e uma amiga foram levada para um cativeiro em uma invasão na Zona Norte e tiveram até covas abertas pelos criminosos

    A vítima mais velha teve o couro cabeludo arrancado por um grupo criminoso
    A vítima mais velha teve o couro cabeludo arrancado por um grupo criminoso | Foto: Reprodução

    Manaus - Duas adolescentes, uma de 13 e outra de 16 anos, foram vítimas de um sequestro na noite da última segunda-feira (11). Segundo a polícia, as garotaras sofreram uma sessão de tortura e a vítima mais velha teve o couro cabeludo arrancado por um grupo criminoso. O caso ocorreu na região da invasão Buritis, no bairro Nova Cidade, Zona Norte de Manaus. 

    Policiais da 15ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) capturaram um adolescente de 14 anos, apontado como um dos suspeitos de participar do crime. O alvo da quadrilha era fazer as meninas entregarem o paradeiro de uma terceira pessoa, que não teve o nome divulgado. 

    Durante as agressões e ameaças que sofria, a adolescente de 13 anos conseguiu fugir e pediu ajuda dos policiais que faziam patrulhamento na região. A menina levou a equipe policial até o cativeiro, mas ninguém foi encontrado no local.

    Horas depois, a polícia conseguiu encontrar a vítima de 16 anos, ela estava internada no Hospital e Pronto-socorro João Lúcio, na Zona Leste, com ferimentos na cabeça. Não há informações sobre quem prestou socorro à menina. 

    Deaai 

    O menor envolvido no crime e a vítima de 13 anos foram encaminhados à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai). Em depoimento, a garota relatou que ela e amiga estavam em frente da casa dela quando foram levadas pelos suspeitos.

    "Ela conta que os criminosos usaram uma faca para realizar as torturas e que, em certo momento, conseguiu escapar. A adolescente falou, ainda, que os suspeito chegaram a cavar uma cova para elas. Entretanto, vamos investigar as reais circunstâncias dos fatos", informou a delegada Elizabeth de Paula, titular da Deaai.

    Já o menor confirmou na delegacia que estava presente no local do crime, mas não participou dos delitos. A jovem de 16 anos deve prestar depoimento após receber alta médica.