Fonte: OpenWeather

    Caso Kimberly


    Rafael esteve em condomínio de Kimberly antes do crime, afirma polícia

    O suspeito buscou a vítima na residência de uma amiga, no bairro Parque das Laranjeiras, e seguiu para a casa da modelo, localizada em um residencial na avenida Constantino Nery. Só depois a vítima foi levada para o local do crime

    Momentos antes de cometer o assassinato Rafael ainda pediu um jantar por Delivery
    Momentos antes de cometer o assassinato Rafael ainda pediu um jantar por Delivery | Foto: Reprodução

    Manaus - Uma das razões que leva a polícia a acreditar que a morte brutal da miss Manicoré, Kimberly Karen Mota, de 22 anos, não foi premeditado é que a vítima antes de ser morta foi deixada pelo suspeito, Rafael Fernandes, de 31 anos, no condomínio onde ela morava, localizado na avenida Constantino Nery, Zona Centro-Sul de Manaus. Depois a vítima foi levada para o apartamento do ex-namorado, no Centro da capital, Zona Sul, onde ocorreu o crime. 

    A delegada Zandra Ribeiro, adjunta da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), informou que a equipe de investigação possui vídeos de câmeras de segurança de lugares por onde o casal passou antes de Kimberly ser morta.

    Rafael buscou a vítima na casa de uma amiga, no bairro Parque das Laranjeiras, e seguiu para a casa da modelo.  

    "Em uma das gravações, o carro dele foi visto entrando no condomínio da vítima. Isso aconteceu duas vezes. Rafael teria deixado a Kimberly na casa dela, saiu do condomínio e, por alguma eventualidade, instantes depois, ele retornou ao residencial e saiu novamente com a vítima. De lá eles seguiram para o apartamento dele", informou adjunta da DEHS. 

    Vítima e suspeito se conheciam há menos de três meses
    Vítima e suspeito se conheciam há menos de três meses | Foto: Divulgação

    Momentos antes de cometer o assassinato Rafael ainda pediu um jantar por Delivery e desceu até a entrada do condomínio dele para buscar a refeição. A delegada acredita que morte de Kimberly teria ocorrido em seguida, durante uma briga do casal. 

    “A morte da jovem teria sido entre às 22h de domingo e às 1h de segunda. Depois desse horário, ele foi visto saindo do prédio. Trabalhamos com a hipótese de um crime passional', disse Ribeiro. 

    O servidor público, de forma fria, trocou de roupas e fugiu do apartamento onde ocorreu o crime, no carro dele, modelo Audi, de cor branca.

    Força Tarefa 

    Após a Polícia Civil do Amazonas confirmar nesta quarta, que Rafael fugiu para o estado de Roraima, a Polícia Civil do Estado de Roraima (PC-RR) confirmou a existência de uma força-tarefa para localizar o suspeito. Em nome dele, há um mandado de prisão temporária expedido pela Justiça do Amazonas.