Fonte: OpenWeather

    Caso Miss


    Rafael foi barrado ao tentar entrar na Venezuela, diz PC de Roraima

    Delegado-geral da Polícia Civil roraimense confirmou que o analista judiciário tentou entrar na Venezuela, sem sucesso

    O analista judiciário deve chegar a Manaus na noite deste sábado (16), por volta das 21h | Foto: Aldenio Soares

    Boa Vista - O delegado-geral da Polícia Civil de Roraima (PC-RR), Hebert Cardos, confirmou que o analista judiciário Rafael Fernandez Rodrigues, de 31 anos, tentou entrar na Venezuela durante a sua fuga, mas foi barrado pela guarda do país vizinho. A informações foi confirmada durante coletiva de imprensa concedida na manhã deste sábado (16), pelo delegado que deu mais detalhes sobre as investigações que levaram a captura de Rafael, suspeito da morte da Miss Manicoré Kimberly Karen Mota, de 22 anos, .

    Cardoso destacou a importância do trabalho realizado pela força-tarefa que integrou  órgãos de segurança de Roraima e do Amazonas, em busca do principal suspeito da morte de miss.

    “Após ser impedido de entrar na Venezuela, Rafael retornou para Pacaraima, onde foi escondido por venezuelanos. Recebemos várias denúncias e durante uma das abordagens, as equipes se depararam com seis venezuelanos que chegaram a tentar atacar os policiais com facões para que não chegássemos até o Rafael”, relatou a autoridade policial.

    O delegado Cardoso disse que, após a prisão de Rafael na tarde de sexta-feira (16), acompanhado de dois venezuelanos, sendo um adolescente de 17 anos, e outro chamado Humberto Jose Reyes Martinez, de 24 anos, os suspeitos foram conduzidos à Delegacia de Pacaraima. No lugar, os venezuelanos assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e foram liberados. 

    O coronel Elias Santana, comandante-geral da Polícia Militar de Roraima disse que na sexta-feira (15), equipes da força-tarefa fizeram duas tentativas de captura até a prisão do analista judiciário. Rafael chegou a Boa Vista, por volta das 1h30 deste sábado e passou por exame de corpo de delito. 

    O delegado Paulo Martins, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), da Polícia Civil do Amazonas, agradeceu o empenho das forças de Segurança Pública do Estado de Roraima pela parceria, que resultou na prisão do acusado. 

    “Rafael estava sendo procurado por toda a polícia amazonense e assim que soubemos da fuga dele para Roraima pedimos apoio do delegado-geral e iniciamos uma força-tarefa conjunta. Foi um belo trabalho feito aqui no Estado”, elogiou Paulo Martins.

    Durante a coletiva, as autoridades policiais roraimenses destacaram que Rafael chegou a prestar depoimento na Delegacia de Pacaraima sobre o favorecimento pessoal feito pelos venezuelanos.

    As declarações oficiais sobre a morte de Kimberly deverão ser feitas no prédio da DEHS em Manaus, após a chegada de Rafael que está prevista para a noite deste sábado (16).