Fonte: OpenWeather

    Caso Kimberly


    Vídeo: Veja o que Rafael disse sobre morte de miss ao chegar em Manaus

    Durante a viagem de volta à cidade de Manaus, Rafael contou que chegou a pedir ajuda do pai - que acabou se matando na quinta - e que quase foi morto na fronteira. Ele também contou porque matou a Miss Manicoré

    Rafael confessou o crime
    Rafael confessou o crime | Foto: Divulgação

    Manaus - A chegada de Rafael Fernandez Rodrigues, de 31 anos, ao prédio da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) na noite deste sábado (16), por volta das 21h30, foi marcada pela presença de jornalistas e questionamentos sobre a morte da Miss Manicoré Kimberly Karen Mota, que tinha 22 anos. Rafael entrou cabisbaixo e preferiu não responder os questionamentos da imprensa. Durante a coletiva, a polícia deu novos detalhes sobre a morte da Miss.

    O delegado Paulo Martins, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), informou que Rafael confessou o crime e que a motivação foi o fato de ele ter encontrado mensagens indesejadas no celular da vítima, enquanto ela usava o banheiro. 

    Dinâmica do crime

    Rafael contou à polícia que após ler as conversas no celular de Kimberly, ele foi até a cozinha do apartamento, pegou uma faca e surpreendeu Kimberly no momento em que ela estava deitada ao seu lado na cama. Após muita insistência de Rafael, a miss aceitou dormir no apartamento e acabou levando a primeira facada no pescoço. 

    "Rafael contou que deu o primeiro golpe na Kimberly e ela já caiu desfalecida. Em seguida, ele deu outro golpe no pescoço e um terceiro no peito da miss, depois confirmou que ela estava morta. Kimberly foi levada ao banheiro do local, onde o suspeito lavou a vítima que sangrava muito", contou o titular da DEHS. 

    Paulo Martins disse que antes de fugir do apartamento, o auxiliar judiciário ainda ligou para o pai - que morava em São Paulo e se jogou na frente de um trem - e contou o que havia feito à namorada. O pai chegou a pedir que ele se entregasse à polícia, mas Rafael não o ouviu. A intenção dele era esconder o corpo de Kimberly e sair do apartamento, mas ele não conseguiu. 

    "Ao perceber que não teria como sair com o corpo, Rafael decidiu fugir para Roraima. Ele estava tão nervoso que errou o caminho e percorreu a rodovia AM 010, que liga Manaus a Itacoatiara. Ele percebeu o erro e retornou para a BR-174. No trajeto, ele jogou o celular de Kimberly", explicou a autoridade policial.

    Ao passar pelo posto de fiscalização em Jundiá, Rafael sofreu o acidente, pegou um táxi até Boa Vista e seguiu para Pacaraima. 

    Veja o momento que Rafal chega à DEHS:

    Rafael não responde à imprensa sobre crime | Autor: EM TEMPO
     


    Perigo de morte

    Rafael Fernandes foi barrado duas vezes na fronteira entre Pacaraima e Santa Elena de Uairén, na Venezuela. Na segunda vez, ele foi reconhecido por venezuelanos e ameaçado de morte. 

    O delegado Paulo Martins destacou que Rafael pagou a quantia de R$ 1500 para não ser morto e pôde retornar à Pacaraima.

    Depois de uma fuga quase cinematográfica, Rafael foi pego na tarde de sexta-feira (15), em uma cabana improvisada no Morro do Quiabo em Pacaraima no Estado de Roraima.

     Após a captura, o delegado Paulo Martins, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) foi pessoalmente até Boa Vista cuidar do recambiamento do suspeito.

    O principal suspeito da morte da Miss Manicoré deixou o 2° Distrito Integrado de Polícia (DIP) por volta das 13h30 rumo à cidade de Manaus. 

    Após a chegada na capital amazonense, Rafael deve prestar depoimento na madrugada  deste domingo (17). Ele aceitou esclarecer tudo sobre a dinâmica  do crime e é réu confesso. Rafael negou receber ajuda de um advogado disponibilizado pelo Sindicato e também outro enviado pela própria mãe. “Ele já contratou um advogado pessoal e estamos aguardando a chegada dele para iniciar o depoimento”, relatou Martins.

    Morte do pai 

    Questionado se Rafael já sabia da morte do pai, que cometeu suicídio na noite de quinta-feira (14), em São Paulo, Paulo Martins destacou que Rafael já sabia e que se demonstrou muito triste. 

    Durante o domingo (17), ele deverá passar por um novo exame de corpo de delito no IML de Manaus e, em seguida, passará por audiência de custódia via videoconferência.