Fonte: OpenWeather

    Caso Miss


    'Acabei com minha vida, preciso de Deus', disse Rafael para o pai

    O pai de Rafael foi a primeira pessoa a saber do crime por uma ligação feita pelo filho, que contou sobre o crime olhando o corpo da miss Manicoré ensanguentado no chão do apartamento

    Rafael disse ao pai que jogou a carreira no lixo
    Rafael disse ao pai que jogou a carreira no lixo | Foto: Aldenio Soares

    Manaus - Rafael Fernandez Rodrigues, de 31 anos, revelou detalhes do que pensou após a morte da miss Manicoré Kimberly Karen Mota, que tinha 22 anos. Ele disse, em depoimento prestado no domingo (17), na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que ligou para o pai assim que tirou a vida da jovem. Em uma das falas no diálogo, ele mencionou que "acabou com a própria vida e que precisava encontrar Deus".

    O crime aconteceu na madrugada do dia 11 de maio de 2020, dentro do apartamento de Rafael, situado na avenida Joaquim Nabuco, bairro Centro, Zona Sul de Manaus. Após o crime, o jovem fugiu para Roraima, mas acabou preso no último sábado (16).

    Para a polícia, Rafael relatou que ficou apavorado após tirar a vida de Kimberly com três facadas. A primeira pessoa que Rafael procurou foi o pai, para quem fez uma ligação da varanda do apartamento observando o cenário de sangue e o corpo da vítima.  

    "Fiz uma besteira e acabei com a minha vida. Eu matei a Kimberly", disse Rafael ao pai que pediu para que o filho se entregasse à polícia. Rafael respondeu que: "não dá, não sei o que fazer, não posso ficar aqui", respondeu, segundo ele, apavorado a cada vez que olhava para o corpo da vítima. 

    O diálogo prosseguiu e Rafael contou ao pai sobre o plano de fuga. "Preciso ir para algum lugar, não posso ficar, eu vou pra São Paulo, eu vou para longe. Preciso encontrar Deus. Eu vou para a Venezuela. O Brasil acabou para mim, eu acabei com a minha vida, com meu diploma", lamentou Rafael ao pai e em seguida encerrou a ligação.