Fonte: OpenWeather

    Investigação


    Polícia investiga envenenamento de comida de moradores de rua

    Os dois moradores que morreram após consumirem as marmitas foram enterrados na quinta-feira (23)

    mais de dez testemunhas já foram ouvidas pela Polícia
    mais de dez testemunhas já foram ouvidas pela Polícia | Foto: Divulgação

    A Polícia Civil investiga se as marmitas suspeitas de matar dois moradores em situação de rua na última terça-feira (21) em Itapevi, na grande São Paulo, foram envenenadas intencionalmente. De acordo com o delegado Aloysio Ribeiro, responsável pelo caso, as equipes trabalham com três linhas de investigação e não descartam nenhuma hipótese. 

    Nesta quinta-feira (23), a mulher responsável pela preparação das marmitas compareceu à Delegacia de Itapevi e disse em depoimento que seus familiares consumiram o mesmo alimento na data do ocorrido, mas ninguém apresentou sintomas adversos. Os investigadores também foram até a residência da voluntária e não encontraram nenhum produto ou substância que levantassem suspeitas contra a equipe que preparou a comida. 

    Segundo o delegado, a primeira hipótese seria de que as marmitas teriam sido envenenadas ou adulteradas em sua origem. Já a segunda é baseada na possibilidade de que alguém tenha manipulado o alimento durante a entrega e por fim, trabalha-se com o caso de um possível consumo de comida estragada. "Nós estamos colhendo muitas informações, tudo é possível. Qualquer dúvida que nos trazem estamos tentando esclarecer porque é um caso grave, requer muita cautela", afirmou. 

    Os dois moradores que morreram após consumirem as marmitas foram enterrados na quinta-feira. Uma adolescente segue internada no hospital Regional de Osasco e seu quadro de saúde é estável. Já o menino que foi encaminhado ao hospital de Pirajussara permanece entubado. 

    Até o momento, mais de dez testemunhas já foram ouvidas pela Polícia. O caso segue sob investigação.