Briga entre facções


Em Manaus, preso diz que morte de empacotador foi um acerto de contas

Preso pelo homicídio, Wadison Henrique disse que o assassinato foi ordenado por um pistoleiro de uma facção criminosa

O suspeito foi preso na quarta-feira (12)
O suspeito foi preso na quarta-feira (12) | Foto: Yasmin Feitosa

Manaus – Acerto de contas motivado por briga entre facções rivais. Esse foi o motivo do assassinato do empacotador Renneson Ramos Prestes, 27, ocorrida no dia 28 de dezembro de 2019, no Tancredo Neves, Zona Leste de Manaus.

Quem afirmou a motivação foi Wadison Henrique das Neves Silva, 23, preso, na manhã da última quarta-feira (12), pelo assassinato. Ele disse que a morte foi ordenada por um pistoleiro de uma facção criminosa.

De acordo com o delegado Charles Araújo, adjunto da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o homem foi preso por policiais do 1° Distrito Integrado de Polícia (DIP), por dirigir um veículo com adulteração.

"Ele foi detido durante uma abordagem da Polícia Militar. Ele estava em um carro em atitude suspeita quando os policiais o abordaram e descobriram que o veículo estava com adulteração. Na delegacia onde verificaram que tinha um mandado de prisão no nome dele", explicou Charles sobre a prisão.

Segundo o delegado, o empacotador tinha envolvimento com o crime. Já o acusado possui passagens por outros homicídios, ocorridos também na Zona Leste.

Wadison Henrique será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT)
Wadison Henrique será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT) | Foto: Yasmin Feitosa

"As investigações apontam que a motivação é guerra entre facções, o suspeito é apontado como pistoleiro de uma facção criminosa de altíssima periculosidade. Nos chamou a atenção que ele é investigado em outros homicídios ocorridos na capital amazonense", disse o adjunto da Especializada.

Envolvimento com tráfico de drogas

Segundo um amigo da vítima, que pediu anonimato, Renneson já teria envolvimento com o mundo do tráfico e passou por uma prisão, mas estava buscando mudar de vida e começou a trabalhar de empacotador.

De acordo com o delegado, a família confirma o possível acerto de contas. "Os familiares afirmam que ele já tinha saído do mundo do crime, o problema é que uma vez que você entra nesse mundo você fica marcado ", explicou.

Procedimentos

Wadison Henrique será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde posteriormente passará por audiência de custódia para ser levado ao presídio.

Leia mais: 

Após quase 8 meses, assassino de empacotador é preso em Manaus

Mulher é ameaçada e xingada pelo marido na frente dos filhos em Manaus

Embarcação da PM é novamente atacada a tiros no AM; três são presos