Fonte: OpenWeather

    Criminalidade


    Briga entre facções motivou execução de estudante na Compensa, diz PM

    A polícia falou sobre o crime nesta sexta-feira (10). Quatro criminosos foram preso

    A polícia falou sobre a morte e a prisão dos suspeitos nesta sexta-feira (14)
    A polícia falou sobre a morte e a prisão dos suspeitos nesta sexta-feira (14) | Foto: Bianca Ribeiro

    Manaus - Briga entre facções criminosas, que disputam o domínio de pontos na capital amazonense, foi a motivação do assassinato do adolescente Jefferson Soares, 17, morto com 17 tiros, na noite da última quinta-feira (13), na rua das Pedreiras, no bairro Compensa, Zona Oeste.

    Quatro criminosos foram presos logo após o assassinato. Segundo informações do tenente-coronel Benevides, do CPA Oeste, os quatro presos possuem passagens pela polícia. Um quinto suspeito conseguiu fugir.

    “Eles já são conhecidos. Todos têm passagem pela polícia e já são investigados por outros crimes de homicídios e roubos na cidade. A motivação seria uma briga por território. Esses grupos rivais entraram em confronto devido essas áreas”, explicou Benevides.

    Com o grupo, a polícia apreendeu uma arma de fogo, sete munições, sendo três deflagradas, armas brancas, celulares e um caderno com a contabilidade do tráfico. Nos telefones celulares foram encontrados fotos do bando ostentando com armas e drogas.

    "No momento da abordagem eles tentaram reagir. Um deles apontou a arma e tentou efetuar disparos contra a viatura da Polícia Militar, mas a arma teve uma pane e ele conseguiu fugir”, disse o coronel.

    Envolvimento com o tráfico 

    De acordo com o capitão Manfredo, também do CPA Oeste, Jefferson teria sido morto por ter envolvimento com tráfico de drogas. 

    “Foi feita a parte de inteligência pela CPA Oeste e encontramos indícios de que ele era envolvido com o tráfico de drogas também”, explicou o capitão. 

    Leia mais: 

    Grupo mata adolescente com 17 tiros tiros e acaba preso na Compensa

    'Não fui eu', diz motorista de app acusado de agressão e homofobia

    Força Nacional dará apoio à PF nas operações em Nova Olinda do Norte