Fonte: OpenWeather

    Covid-19


    Polícia Civil promove operação para combater aglomerações, em Manaus

    Sob a coordenação da delegada Elizabeth de Paula operação ocorreu em varias zonas

    Sob a coordenação da delegada Elizabeth de Paula operação ocorreu em varias zonas
    Sob a coordenação da delegada Elizabeth de Paula operação ocorreu em varias zonas | Foto: Reprodução

    Manaus- Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), sob a coordenação da delegada Elizabeth de Paula, realizou, entre os dias 25 e 28 de setembro, uma Central Integrada de Fiscalização (CIF), que ocorreu em todas as zonas da capital.

    De acordo com a delegada Elizabeth de Paula, o objetivo da operação era advertir e fiscalizar locais onde estivessem ocorrendo aglomerações.  “A ação foi iniciada na noite de sexta-feira (25), por volta das 20h, e finalizada na madrugada desta segunda-feira (28). Para o funcionamento foram divididas duas equipes com nove locais para cada. A equipe 1 ficou com os locais das zonas norte e leste, já a equipe 2 ficou com os das zonas centro-sul, sul e centro-oeste”, explicou a delegada.

    Conforme a autoridade policial, durante as fiscalizações na madrugada desta segunda-feira (28), por volta de 1h, foram apreendidos nove narguilés em um balneário, no bairro Redenção, zona centro-oeste da cidade, por se tratar de um produto de disseminação de vírus. Segundo a titular, no local, havia mais de 500 pessoas.

    Ainda com informações da titular, o material apreendido foi encaminhado para a polícia técnica, na qual foi verificado se existiam resquícios de substâncias entorpecentes nos objetos, e se tais substâncias poderiam causar dependência física ou psíquica. Posteriormente, o produto foi encaminhado para a 17ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), para os procedimentos cabíveis. 

    “A Vigilância Sanitária autuou o local e encerramos a comemoração que estava ocorrendo naquele momento. Em função do risco que o narguilé causava na disseminação do vírus, o material foi apreendido e o dono responderá por crime contra saúde pública”, finalizou Elizabeth.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Flutuantes de Manaus são fiscalizados neste domingo

    Pedidos de educação indígena aumentaram 500%, afirma Funai

    Casamentos em bares, flutuantes e balneários são proibidos no AM