Policiamento Ambiental


Apreendidos galos de rinha e quelônios no Novo Aleixo, em Manaus

Policiamento Ambiental apreende quelônios e galos usados em rinha, na zona norte

Galos apreendidos na residência estavam delibitados
Galos apreendidos na residência estavam delibitados | Foto: Divulgação

Manaus - Policiais militares do Comando de Policiamento Ambiental do Amazonas apreenderam, na tarde desta segunda-feira (05) no conjunto Águas Claras, bairro Novo Aleixo, zona norte da capital, oito quelônios e 29 galos que possivelmente estavam sendo usados em rinhas clandestinas. 

Os policiais que atenderam a ocorrência disseram que, por volta das 17h30, durante patrulhamento pelo bairro, receberam denúncia via linha direta informando que, em uma residência localizada na rua E-14, estavam sendo comercializados quelônios e que, no local, também funcionava uma rinha de galos.

Após o deslocamento até o endereço da denúncia, os policiais foram recebidos pela proprietária da residência. 

Quelônios e galos no quintal 

Quelônios apreendidos no quintal da residência
Quelônios apreendidos no quintal da residência | Foto: Divulgação

Ao ser indagada sobre a denúncia, a mulher informou que seu esposo guardava quelônios no quintal e autorizou a entrada dos policiais em sua casa. Durante as buscas no local, os policiais encontraram os quelônios que estavam dentro de uma caixa d’agua.

Ainda nas buscas, foram encontrados nove galos guardados em caixas de madeira. Ao verificar as condições dos animais, foi constatado que dois deles estavam bastante debilitados e com alguns ferimentos, configurando os maus-tratos. 

Durante a retirada dos animais, os policiais observaram galos cantando em um terreno em frente, que também pertence à família, e após as buscas no local, foram encontrados mais 20 galos, estando alguns deles muito machucados.

Diante dos fatos, os animais foram levados até a Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente (DEMA) para os procedimentos legais.

Crime Ambiental

O Comando e o Batalhão Ambiental orientam a população que criar, guardar, transportar, capturar ou caçar animais silvestres sem autorização do órgão competente, configura crime ambiental, bem como praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, sujeitando seu(s) autor(es) às penalidades previstas na Lei.