Fonte: OpenWeather

    Operação “Astreia”


    Envolvidos na morte de motorista de app são capturados em Manaus

    Três adolescentes entre 16 e 17 anos, foram apreendidos, e um jovem, de 18 anos, foi preso durante a operação “Astreia”, deflagrada na manhã desta quinta-feira (29)

    O homem detido será indiciado pelos crimes de latrocínio e corrupção de menor
    O homem detido será indiciado pelos crimes de latrocínio e corrupção de menor | Foto: Divulgação

    Manaus - Suspeitos de participarem da morte de José Roberto da Silva Ferreira, que tinha 42 anos, três adolescentes entre 16 e 17 anos, foram apreendidos, e um jovem, de 18 anos, foi preso durante a operação “Astreia”, deflagrada na manhã desta quinta-feira (29). O crime ocorreu na madrugada do dia 18 deste mês, enquanto a vítima trabalhava como motorista de aplicativo. 

    De acordo com o delegado Charles Araújo, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), durante esta quinta, as equipes policiais se deslocaram em busca do alvo da ação para cumprir o mandado de prisão temporária. Porém, ao encontrarem o indivíduo, constataram que ele era menor de 18 anos, razão pela qual ele foi apreendido e encaminhado à DEHS para prestar depoimento. 

    Delegado Charles Araújo, titular  DEHS
    Delegado Charles Araújo, titular DEHS | Foto: Divulgação

    “Ao apreendermos o adolescente, ele delatou as outras pessoas envolvidas na ocorrência. Nós nos deslocamos aos endereços, que ficavam no mesmo bairro, e apreendemos mais dois adolescentes, e detivemos um maior de idade que também teve participação no crime”, detalhou a autoridade. 

    A delegada Marília Campêllo, adjunta da DEHS, assinalou que assim que a Especializada recebeu a informação da morte de José, os trabalhos iniciaram para localizar os envolvidos no crime, e que a partir do momento em que o primeiro fosse localizado, os demais também seriam identificados. 

    Delegada Marília Campêllo, adjunta da DEHS
    Delegada Marília Campêllo, adjunta da DEHS | Foto: Divulgação


    “No decorrer das investigações, vamos apurar se esses indivíduos tiveram participação em outros crimes contra motoristas de aplicativo na capital. Em depoimento, eles disseram que ao deixarem José Roberto no ramal, não sabiam se ele estaria vivo ou morto, mas tinham ciência que a vítima estava bastante machucada", explicou a autoridade. 

    Entenda o caso

    De acordo com Charles Araújo, José Roberto veio a óbito no dia 20 de outubro deste ano, em um hospital de Manaus, no qual estava internado, após ser assaltado e brutalmente agredido pelos criminosos. O motorista de aplicativo havia saído de sua residência, na noite do último sábado (17/10), por volta das 23h, para trabalhar. 

    Conforme o delegado, durante a madrugada do domingo (18/10), ele teria sido assaltado pelos indivíduos, que levaram seu carro e o deixaram gravemente ferido. O homem foi encontrado na manhã do dia seguinte no ramal da Gisele, no bairro Distrito Industrial 2, zona leste. A vítima foi internada em um hospital da capital, onde faleceu no dia 20. 

    Procedimentos

    O homem detido será indiciado pelos crimes de latrocínio e corrupção de menor, e posteriormente será representado por sua prisão preventiva. Os três adolescentes serão encaminhados para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), onde irão responder pelo ato infracional análogo ao crime de latrocínio, e os procedimentos serão finalizados. 

    ‘Astreia’

    A operação foi batizada com esse nome por causa da deusa Astreia, que representa a Justiça, em especial, dos julgamentos e vingadora das violações da lei.

    Leia mais 

    No fim de corrida, motorista de App é arrastado e morto em Manaus

    Áudio revela ação violenta de ladrões de motorista de app em Manaus

    Em 72 horas, mais um motorista de aplicativo é sequestrado em Manaus