Fonte: OpenWeather

    Planos de ataque


    Adolescente confessa ser "cérebro" de atentado contra escola em Manaus

    O adolescentes do Amazonas, Goiás e Rio Grande do Norte planejavam um ataque maior dos que já haviam acontecidos no Brasil. Os ataques aconteceriam de forma simultânea

     

    O adolescente não estudava mais na escola e alegou que a motivação do crime seria por já ter sofrido bullying no local
    O adolescente não estudava mais na escola e alegou que a motivação do crime seria por já ter sofrido bullying no local | Foto: Divulgação

    Manaus (AM)- Uma tragédia sangrenta em uma escola de Manaus foi evitada com a ação de inteligência da Polícia Civil do Amazonas.

    Um adolescente de 14 anos foi apreendido pela Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente (DEPCA), por planejar um massacre em uma Escola Estadual no bairro da Glória, zona Sul de Manaus. 

    O adolescente amazonense estava planejando um ataque a escola, em conjunto com outros dois jovens que moram no Rio Grande do Norte e em Goiás. Seriam três atentados que aconteceriam de forma simultânea em cada cidade. 

      A possibilidade do atentado foi descoberta por meio de uma ação em conjunto com o setor de Inteligência Cibernética do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e organizações internacionais que monitoram conversas de cunho terrorista em meios cibernéticos, e encontraram as conversas com os planos do trio. Eles eram monitorados desde abril deste ano.  

    De acordo com a titular da DEPCA, delegada Joyce Coelho, a PC-AM foi alertada e recebeu o relatório com todas as informações dos planos dos suspeitos e teve o papel de identificar o adolescente e a escola que possivelmente sofreria o atentado

    A titular ainda relata que o adolescente foi identificado e a Polícia Civil se dirigiu até a residência do suspeito, que foi encaminhado até a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DEAAI), juntamente com seu responsável para prestar esclarecimentos. Ele confessou a existência do plano e que era o mentor.

    "

    Desde o fim de semana que a DEPCA vem trabalhando, e ontem nós localizamos e intimamos que ele viesse até a delegacia, com seu responsável, e de pronto, esse adolescente confessou todo plano. Até porque ele já estava ciente que nos outros estados, em Goiás e no Rio Grande do Norte, os outros adolescentes que conversavam com ele, via rede social, já estavam apreendidos. "

    Joyce Coelho, Titular do DEPCA

     

    A PC-AM informou que a apreensão deu o sentimento de alívio, já que o plano de matar dezenas de vidas foi descoberto. 

    "Polícia Civil se sente aliviada nessa missão exitosa no sentido de ter cumprido, ter identificado e ter impedido um massacre desses. Evitando que a história fique suja mais uma vez com o sangue de pessoas inocentes", declara a titular. 

    Motivação do crime

    De acordo com a titular, o adolescente não estudava mais na escola e alegou que a motivação do crime seria por já ter sofrido bullying no local. Ele, inclusive, já tinha desenhos e mapas do entorno da escola e que estava decidido a cometer o crime.

    "No primeiro momento, ele alegou que teria sofrido bullying nessa escola e que pretendia direcionar esse ataque pra lá. Ao apreendermos e ouvirmos, percebemos o perigo e como ele apresentava um risco iminente para a segurança de toda aquela comunidade escolar", declara. 

    Os planos para o crime já estavam em fase avançada. Os autores já estavam no estágio da contabilidade das munições necessárias para serem utilizadas e também a quantidade de pessoas que pretendiam matar. Bombas caseiras também já haviam sido confeccionadas  para o dia do massacre.

    O estudo do plano

    Joyce não descarta a possibilidade ter outras pessoas envolvidas no crime, já que o plano tinha diversos detalhes que poderiam ser realizados por outras pessoas. A prioridade, no momento, era apreender esses adolescentes e evitar que o plano avançasse.

    "

    A gente ver que é um plano traçado, desenhado e com certeza pode haver outras pessoas envolvidas e no primeiro momento o objetivo foi tirar esses adolescentes para que a gente possa evitar que isso se concretizasse, mas vamos continuar o monitoramento. "

    Joyce Coelho, Titular da DEPCA

     

    Um outro detalhe sobre o possível atentado é que o trio estudou massacres anteriores, como o de Columbine, que aconteceu em uma Universidade Americana,  e os de Realengo e Suzano, que aconteceram em escolas brasileiras. O objetivo era superar as chacinas em crueldade e número de mortos. 

    A delegada faz um alerta para a sociedade que conteúdos desse gênero são monitorados para que caso, venha a ter um planejamento, sejam evitados, assim como esse atentado foi, felizmente, evitado. 

    "A PC-AM está atenta para não deixar passar qualquer tipo de ameaça a ninguém", finaliza. 

    O adolescente ficara a disposição da justiça no DEAAI e passará por atendimento psicológico. 

    Leia mais: 

    Estudantes ameaçam fazer massacres em escola da Zona Leste de Manaus

    Jovem que planejava chacina é internada em hospital psiquiátrico

    Veja quem é a professora morta após ataque de adolescente em creche