Fonte: OpenWeather

    Notas da Contexto


    Cartas lançadas: quem será o novo presidente da Assembleia no AM?

    Serafim Corrêa, presidente de honra do PSB já sinalizou que irá concorrer à Presidência da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM).

    Deputado Serafim Corrêa
    Deputado Serafim Corrêa | Foto: Divulgação

    Dança das cadeiras

    Serafim Corrêa, o presidente de honra do PSB já sinalizou que irá concorrer à Presidência da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM).

    — Nenhum dos 24 deputados que se elegeram para o próximo mandato se excluirão desse processo, e quem vai jogar em qual posição nós vamos ver.

    Sefaz

    O deputado Serafim Corrêa (PSB) cobrou da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) que prepare um diagnóstico da situação financeira do Estado, para ser entregue à equipe de transição do governador eleito, Wilson Lima (PSC).

    Quando o governador Amazonino Mendes se elegeu em 2017, lembrou Sarafa, ele disse que estava sendo eleito para arrumar a casa.

    — Então é a hora de apresentar à sociedade um diagnóstico de qual é a situação do Estado e quais são as alternativas que temos daqui para frente –, cutucou.

    Amazonino prometeu arrumar a casa quando assumiu o governo tampão
    Amazonino prometeu arrumar a casa quando assumiu o governo tampão | Foto: Lion

    Livro branco

    A sugestão de Serafim é baseada na postura adotada pelo governo federal, na figura do ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, que preparou o chamado “livro branco”, que é um relatório completo da situação do país, incluindo o cenário financeiro dos estados.

    — Eu espero que, em nível estadual, aconteça exatamente o mesmo, que o secretário Alfredo Paes (Sefaz) tenha preparado um diagnóstico da situação financeira –, sugeriu o parlamentar.

    Mudança

    Sobre o governo de Wilson Lima (PSC), Serafim disse que representa uma mudança profunda nos hábitos e que a população que o elegeu anseia por mudanças.

    — O povo disse que cansou do modelo de gestão que está aí. Ele está vindo para fazer o novo e o diferente

    Se hay gobierno...

    Belarmino Lins (PP), raposa velha, apesar de estar num partido de oposição, já disparou que quer um entendimento com o novo governo e já colocou seu nome à disposição.

    — Tanto o novo governador, Wilson Lima, quanto nós, parlamentares, devemos saber superar divergências e buscar convergências, paz e harmonia.

    Agora vai

    A Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) do Senado aprovou, nessa terça-feira (30), requerimento de Eduardo Braga (MDB/AM) que solicita a fiscalização do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre o processo de licenciamento da BR-319.

    Cutucando a ferida

    Braga exige, inclusive, identificação dos responsáveis e o cálculo de eventual dano aos cofres públicos.

    Segundo dados oficiais, já houve o investimento de R$ 111 milhões em estudos e programas para liberação das obras.

    Novela sonolenta

    A via que liga as capitais Manaus (AM) e Porto Velho (RO) tornou-se um processo complexo e conflituoso, afirma o senador no requerimento.

    — Ocorreram diversas reuniões e intensa troca de ofícios entre diversos entes governamentais, sem que hoje tenha sido obtida autorização para execução das obras no trecho do meio –, relatou o senador.

    Desatem o nó

    O tal do trecho do meio abrange aproximadamente 400 quilômetros, entre as cidades de Humaitá e Careiro, no Amazonas”, acrescenta.

    Grosseria

    Anunciado como ministro da Fazenda do governo Bolsonaro, Paulo Guedes começou mal.

    Questionado por uma repórter argentina, correspondente do jornal Clarín, sobre as relações com o Mercosul, o economista irritou-se:

    — Não, o Mercosul não é prioridade. É isso que você queria ouvir?

    Estilo do chefe

    Em seguida, voltou a atropelar a jornalista, que ficou visivelmente constrangida:

    —Você está vendo que esse meu estilo combina com o do presidente, não é? A gente fala a verdade. A gente não está preocupado em te agradar.

    Ódio de jornalista

    Desnecessária tanta grosseria.

    E olha que a pergunta foi simples, agora imaginem quando aparecerem os problemas mais graves e as perguntas mais incisivas?

    Medo do desastre

    Ambientalistas do mundo inteiro temem que a eleição de Jair Bolsonaro para presidente represente um desastre para o meio ambiente na região amazônica.

    Campo de soja

    Mas seus planos para a Amazônia são o que mais irão reverberar para além das fronteiras brasileiras com implicações no futuro.

    — Bolsonaro quer transformar a Amazônia em um enorme campo de soja e matar toda a diversidade -, advertiu Felipe Milanez, especialista em ecologia política da Universidade Federal da Bahia, em entrevista ao Earther.

    Deu no Washington Post

    O jornal norte-americano Washington Post noticiou que Bolsonaro tem um plano de privatizar vastas faixas de floresta, entregando-as ao agronegócio e à mineração.

    “Além disso, ele gostaria de expandir a energia hidrelétrica e nuclear para a região, tendo indicado que não deixará grupos ambientais externos terem muita influência sobre a preservação”, disse o Post.

    Você gosta das Notas da Contexto? Então leia mais:

    Wilson Lima: 'Quem vai compor o secretariado?'

    Amazonino Mendes joga sujo ao prever derrota

    Em caso de dúvida, o muro!