Fonte: OpenWeather

    Eleições 2018


    Conheça os deputados que gastaram menos e foram os mais votados no AM

    Na eleição para deputado federal no Amazonas, os candidatos que menos gastaram na campanha foram os que mais obtiveram votos nas urnas

    Delegado Pablo (PSL) e José Ricardo (PT) foram os mais votados e os que menos gastaram dinheiro durante a campanha
    Delegado Pablo (PSL) e José Ricardo (PT) foram os mais votados e os que menos gastaram dinheiro durante a campanha | Foto: José Ricardo

    Manaus - Os oito deputados federais eleitos pelo Amazonas – que iniciarão as atividades no Congresso Nacional em janeiro de 2019 – tiveram juntos mais de R$ 6 milhões em gastos de campanha, segundos dados divulgados pela Justiça Eleitoral.

    O Delegado Pablo (PSL), segundo mais votado - com 151.649 votos -, foi o parlamentar que menos teve gastos em campanha. Ele declarou à justiça eleitoral gastos de R$44.656,38, o que equivale a uma média de R$ 0,29 por eleitor.

    “O voto não tem um custo. A gente fez o máximo para divulgar a figura do Pablo, o trabalho do Pablo junto à Policia Federal, o Pablo família. Divulgamos a nossa campanha como deputado e o que podemos fazer para contribuir com o cidadão. Defendo uma política sem vícios, uma política para pessoas cansadas dos vícios da velha política. Meus gastos foram em redes sociais e material impresso”, declarou.

    O futuro deputado ainda disse que a campanha “Eu vim de graça”, dos apoiadores do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), teve grande importância na divulgação do seu trabalho.

    “A campanha do ‘Eu vim de graça’, movimento do presidente Jair Bolsonaro, realizou muitos movimentos como caminhadas e carreatas. Essas pessoas que participaram fizeram questão de dizer que estavam nesse lugar para não receber nenhum centavo e que não havia movimentação pela compra do voto. Política com troca está ultrapassada. Hoje em dia as pessoas têm que olhar para o candidato e dizer: este cara pode me representar e confio nele”, disse.

    O deputado federal eleito José Ricardo (PT), o mais votado do Estado, com 197.270 votos, ficou em segundo lugar no ranking dos que menos gastaram na campanha eleitoral (R$ 432.705,53), o que corresponde a uma média de R$ 2,19 por eleitor.

    O Delegado Pablo (PSL) foi o segundo deputado federal mais votado no Estado
    O Delegado Pablo (PSL) foi o segundo deputado federal mais votado no Estado | Foto: thiago botelho

    Voto mais caro

    O parlamentar que mais gastou para entrar na Câmara dos Deputados foi o deputado reeleito Átila Lins (PP). Ele teve R$1.925.276,08 em gastos e foi o terceiro mais votado, com 118.700 votos, o que equivale a R$ 16,21 por eleitor.

    Em segundo lugar dos que mais gastaram na campanha está Marcelo Ramos (PR), que teve um total de gastos de R$1.413.647,61, o equivalente a R$13,23 por eleitor.

    Mudanças

    O sociólogo Gilson Gil, chefe do departamento de sociologia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), explica que as eleições deste ano trouxeram a necessidade do novo, de pessoas comprometidas com a mudança, bem por isso os mais votados não foram necessariamente os que mais gastaram dinheiro na campanha.

    “Creio que tivemos uma eleição com certas singularidades. O eleitor, em geral, queria novidades. Os candidatos tiveram de mostrar que eram novos, que não tinham um passado na política e que representavam esse anseio por mudança. Além disso, certos temas, como segurança, tiveram prioridade. Os candidatos que conseguiram mostrar ênfase na defesa da segurança pública e uma certa falta de passado puderam se eleger com menos custos, como vimos nos casos dos delegados e capitães eleitos aqui e no restante do Brasil”, disse o sociólogo.

    O especialista também destacou o peso da incredibilidade da tradição política.

    “Políticos com um longo passado, associados à tradição política, tiveram muitos problemas. Não eram o que o eleitor demandava. Tivemos alguns, como Pauderney (Avelino), Alfredo (Nascimento) e Vanessa (Grazziotin), que sofreram com isso e não se reelegeram. Outros, como Átila Lins, tiveram de gastar muito, viajar, promover eventos, etc, para poder alcançar o mínimo desejado de votos. Seu esforço foi redobrado, pois, acima de tudo, não eram o que o eleitor desejava neste pleito”, explicou.

    Gil ainda destaca a “onda Bolsonaro”, que se espalhou pelo país e acabou elegendo seus seguidores e apoiadores.

    “Associemos isso ao apoio de certos eleitos - especialmente os delegados e militares - ao candidato a presidente Bolsonaro. Além disso, novas mídias, como o WhatsApp, estrearam com força nesta eleição. Quem soube usar tais recursos, incluindo a batalha contra os fakes, teve maior alcance e penetração eleitoral”, observou.

    “Finalizando, diria que foi a eleição do novo, da busca - até certo ponto irracional- do eleitor em geral pela novidade. Aqueles que marcaram essa imagem e se ligaram algo “novo”, conjugando isso ao combate à criminalidade e o apoio ao candidato majoritário mais votado, tiveram mais facilidades e chegaram mais facilmente ao centro dos desejos do eleitorado neste pleito”, concluiu.

    José Ricardo (PT)

    Votos: 197.270 (11,19% dos votos válidos)

    Total gasto: R$ 432.705,53

    Valor por voto: R$ 2,19

    Delegado Pablo (PSL)

    Votos: 151.649 (8,60% dos votos válidos)

    Total gasto: R$44.656,38

    Valor por voto: R$0,29

    Átila Lins (PP)

    Votos: 118.700 (6,73% dos válidos)

    Total gasto: R$1.925.276,08

    Valor por voto: R$16,21 mais caro

    Silas Câmara (PRB)

    Votos: 117.181 (6,65% dos válidos)

    Total gasto: R$1.409.510,40

    Valor por voto: R$12,02

    Capitão Alberto Neto (PRB)

    Votos: 107.168 (6,08% dos válidos)

    Total gasto: R$799.573,30

    Valor por voto: R$7,46 mais barato

    Marcelo Ramos (PR)

    Votos: 106.805 votos (6,06% dos válidos)

    Total gasto: R$1.413.647,61

    Valor por voto: R$13.23 2 mais caro

    Sidney Leite (PSD)

    Votos: 77.458 votos (4,39% dos válidos)

    Total gasto: R$845.500,00

    Valor por voto: R$10,91

    Bosco Saraiva (SDD)

    Votos: 55.477 (3,15% dos válidos)

    Total gasto: R$584.781,06

    Valor por voto: R$10.54

    Leia mais:

    Saullo Viana na mira da PF por irregularidades em prestação de contas

    Prefeitura de Fonte Boa nega desvio de verba do Fundeb

    Sem controle, governo do AM gasta mais que no ano anterior