Fonte: OpenWeather

    Investimento


    Governo contrata ONG para auxiliar reforma administrativa no AM

    As medidas, segundo o governo, já resultaram em economia de R$ 50 milhões no mês de junho

    Votação da LDO também foi tema de debate nos bastidores do legislativo | Foto: Reprodução/TV Em Tempo

    Manaus - O Governo do Amazonas contratou uma Organização não Governamental (ONG) de Brasília para apresentar o estudo que dará base à reforma administrativa do estado.

    O novo estudo ainda não foi apresentado, mas o governo já confirmou algumas mudanças na estrutura administrativa do estado, entre elas estão: Absorção das competências da central de compras governamentais à comissão geral de licitação e a criação da Unidade de Gestão Integrada, com suporte do gabinete civil, e gerida pelo vice-governador.

    Outras mudanças são especuladas como: Alteração dos nomes das Secretarias de Administração e Gestão (Sead), do Trabalho (Setrab) e da Educação (Seduc); incorporação de competências da Secretaria da Região Metropolitana (SRMM) e da Secretaria de Política Fundiária (SPF) à Secretaria de Infraestrutura e Cidades (Seinfra).

    O investimento para a apresentação do estudo da reforma administrativa foi de R$ 4 milhões e gerou burburinhos entre parlamentares opositores de Wilson Lima.

    O governo do estado divulgou na última segunda-feira (8) que alcançou, em junho, uma economia de gastos de mais de R$ 50 milhões. Foi o primeiro mês em vigor do chamado decreto de austeridade, que busca economizar R$ 600 milhões por ano.

    Lei de Diretrizes Orçamentárias

    Um outro assunto que virou tema de debate nos bastidores do legislativo foi a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício de 2020.

    Os parlamentares vão seguir uma recomendação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) para que a despesa com pessoal não tenha alteração, até que o governo do estado retorne ao limite da lei de responsabilidade fiscal de 49% da receita corrente líquida. O próprio governo informou que o percentual do primeiro quadrimestre ultrapassou o limite e chegou a 50,88%.

    Uma das principais diretrizes para o planejamento dos gastos do estado, a LDO prevê uma receita de R$ 18,6 bilhões em valores correntes para o próximo ano. 51 emendas foram apresentadas ao texto original. O debate acontece nesta quinta-feira (11) no plenário da casa.

    A aprovação do projeto servirá como base para a elaboração da lei orçamentária anual, que será encaminhada à Assembleia em outubro.

    Veja a reportagem completa da TV Em Tempo:

    Veja a reportagem | Autor: Alex Costa/TV Em Tempo
     

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Projeto do governo do AM quer ‘congelar’ reajustes salariais até 2021

    Governador do AM discute desenvolvimento com ministro alemão

    Assista mais vídeos da TV Em Tempo