Fonte: OpenWeather

    Benefícios


    Joana Darc acompanha mutirão de saúde e pede que ação seja permanente

    Em Sessão Plenária, Joana Darc já havia se comprometido em fazer visitas nas unidades hospitalares para acompanhar o andamento dos serviços prestados à população

    Joana conversou com pacientes, anotou demandas e se comprometeu em repassar as informações coletadas aos demais parlamentares. | Foto: Fábio Romão - ALEAM

    Manaus - A deputada estadual Joana Darc (PL) acompanhou, no último fim de semana, o Bloco da Saúde, mutirão que está sendo realizado na Policlínica Gilberto Mestrinho, no Centro de Manaus. A ação visa desafogar a lista de espera do Sistema de Regulação (Sisreg) e está sendo efetiva conforme o esperado, de acordo com a parlamentar.

    Joana conversou com pacientes, anotou demandas e se comprometeu em repassar as informações coletadas aos demais parlamentares. “Essa é uma forma de saber se realmente o que foi proposto está sendo executado. E confesso que fiquei muito satisfeita com o que vi. Conheci pacientes que estavam esperando por um exame de ultrassonografia há dois anos e agora, por meio desse mutirão, conseguiram realizar”, comentou.

    A cuidadora de idosos Marinalva dos Santos é uma destas pacientes. Ela conta que ficou surpresa quando recebeu a ligação da Secretaria de Estado de Saúde (Susam). “Eu já tinha perdido as esperanças e nem esperava mais realizar este exame. Achei essa ação muito boa, pois existem muitos pacientes que precisam realizar os exames e nunca conseguem”, elogiou a paciente.

    Em Sessão Plenária, Joana Darc já havia se comprometido em fazer visitas nas unidades hospitalares para acompanhar o andamento dos serviços prestados à população. “Já vínhamos falando desse assunto na tribuna há muito tempo, para que a gente pudesse ajudar as pessoas. Eu pude verificar e tive surpresas positivas. As pessoas estão impressionadas de terem recebido uma ligação em pleno sábado. Eu vejo que iniciativas como essa devem se ampliar e entrar no cronograma da saúde”, enfatizou.

    Para a aposentada Tereza Silva, de 69 anos, que também estava aguardando há dois anos para fazer exames de risco cirúrgico, os mutirões precisam ser constantes. “Preciso fazer uma cirurgia de catarata e nunca era chamada para os meus exames. Eu orei e Deus atendeu o meu pedido. Hoje quando eu estava saindo de casa nenhum vizinho acreditou que eu estava indo para o médico fazer exames. Agora sim eu vou poder me operar e espero que o Estado continue com esses mutirões sempre”, disse.

     *Com informações da assessoria