Fonte: OpenWeather

    Pagamento


    Mais de 6 mil temporários da educação recebem indenização no Amazonas

    Os pagamentos, que somam R$ 17,2 milhões, serão realizados na próxima sexta-feira (22)

    | Foto: SECOM

    Manaus - O governador Wilson Lima garantiu, nesta segunda-feira (18), o pagamento das verbas indenizatórias de 6.449 profissionais da educação temporários que tiveram o contrato finalizado em janeiro deste ano com a Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc). Os pagamentos, que somam R$ 17,2 milhões, serão realizados na próxima sexta-feira (22).

    “Nós estamos sofrendo muito com essa pandemia do coronavírus. O Estado tem feito um esforço grande, enorme, para poder contemplar todas as áreas, por isso estou trazendo aqui uma boa notícia. Os funcionários temporários que foram desligados da Seduc, no início de janeiro, vão começar a receber suas indenizações a partir do próximo dia 22 de maio. Serão R$ 17 milhões investidos na nossa economia e que serão fundamentais para essas pessoas em um momento como esse”, disse o governador, em vídeo divulgado nas redes sociais.

    Ele destacou, ainda, que a finalização dos processos de pagamento não impede que os ex-servidores que ainda estejam desempregados solicitem o auxílio emergencial do Governo Federal ou qualquer benefício social disponível. O governador também reforçou a importância da participação dos alunos no programa “Aula em Casa”, que está disponibilizando os conteúdos letivos por meio da televisão.

    “Quero aproveitar aqui e fazer um apelo às crianças para que continuem acompanhando o ‘Aula em Casa’. Isso é fundamental para que a gente não tenha mais prejuízo no nosso ano letivo. Vamos trabalhar juntos para que a gente possa sair o mais rápido possível dessa crise pandêmica. A nossa luta é pela vida”, finalizou Wilson Lima.

    Dentro do prazo

    Desde 20 de fevereiro, a Seduc havia iniciado os procedimentos de pagamento das indenizações dos temporários. Em situações normais, processos indenizatórios demoram de quatro a seis meses para liberação na administração estadual e dependem de trâmites internos junto à Secretaria de Estado de Administração e Gestão (Sead) e Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz).

    “A administração estadual ainda estava no prazo para pagamento. No entanto, no final de março, com a pandemia do novo coronavírus, começamos a trabalhar para finalizar os pagamentos”, explicou o secretário de Estado de Educação em exercício, Luis Fabian Pereira.