Combate a violência doméstica


Joelson Silva acredita que nova lei ajude a reduzir violência à mulher

Em Manaus, o número de mulheres vítimas de violência doméstica teve acréscimo de 27% no primeiro semestre de 2020

“Nós precisamos educar nossos filhos. Eu venho de uma família, na qual minha mãe nos educava de forma disciplinar, com respeito às mulheres", diz o parlamentar
“Nós precisamos educar nossos filhos. Eu venho de uma família, na qual minha mãe nos educava de forma disciplinar, com respeito às mulheres", diz o parlamentar | Foto: Divulgação

Manaus - Em vigor desde o mês passado, a Lei 14.022, que trata das novas medidas de enfrentamento à violência contra a mulher no Brasil, tende a reduzir o número de casos relacionados ao problema, na avaliação do presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Joelson Silva (Patriota). Para defender esta tese, o vereador tomou como base, pontos importantes do texto, como o que obriga o poder público a manter o atendimento presencial para as vítimas de crimes estupro, lesão corporal de natureza grave e gravíssima, entre outros, além de abrir prazo, que antes não havia, de 48 horas, para o envio de denúncias pelo “Ligue 180”.

Ainda de acordo com o conteúdo da Lei, que foi construído para enfrentar os alarmantes dados registrados neste período pandemia, o registro de ocorrência poderá ser feito de forma on-line, e as autoridades terão os instrumentos necessários para que a vítima seja acolhida, e o agressor punido, com base na Lei Maria da Penha.

Após ter conhecimento dos dados apresentados pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, que apontam aumento significante no número de denúncias de violência contra a mulher, nos últimos meses, Joelson Silva demonstrou indignação e, mais uma vez, manifestou solidariedade às vítimas, com alertas e reflexões sobre o problema. 

O levantamento balizado por ligações feitas ao número 180 apontou um crescimento de 13,35% em fevereiro, 17,89% em março e 37,58% no mês de abril, quando comparado com o mesmo período de 2019.  

Acréscimo 

Em Manaus, o número de mulheres vítimas de violência doméstica teve acréscimo de 27% no primeiro semestre de 2020. Os dados apontam que, desde o início das medidas de isolamento social, de março até junho deste ano, 5,4 mil mulheres sofreram algum tipo de violência. 

Em 2019, de janeiro a junho, o número de vítimas chegou a 7.6 mil. No mesmo período deste ano, 9,7 mil sofreram algum tipo de violência, conforme dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). 

“Nós precisamos educar nossos filhos. Eu venho de uma família, na qual minha mãe nos educava de forma disciplinar, com respeito às mulheres. Eu queria trazer você, pai e mãe para esse debate. Vamos educar os adolescentes, vamos educar os nossos jovens, para que eles possam tratar as mulheres, da forma com que elas merecem: com respeito, carinho e amor. Disciplinem de forma correta, coerente, conversem com seus filhos como é importante saber tratar as mulheres. Como homem, eu quero poder participar ainda mais para que a gente possa reduzir esses índices e fazer com que as nossas mulheres sejam felizes na nossa sociedade”, defendeu o parlamentar. 

Núcleo 

Para reforçar o combate aos crimes cometidos contra a mulher, Joelson Silva inaugurou, em dezembro de 2019, na Câmara de Manaus, o Núcleo de Atendimento à Mulher. Nesse momento, o atendimento presencial está suspenso para evitar aglomeração, mas o retorno das atividades é uma das prioridades do presidente, e será feito quando o acesso ao público externo for liberado. 

O parlamentar observou ainda que, neste mês de agosto, em que se comemora os 14 anos da Lei Maria da Penha, todo esforço é bem-vindo, no sentido de reforçar a conscientização pelo fim da violência contra a mulher. 

Mais atenção 

Paralelamente aos atendimentos à mulher na Câmara, Joelson Silva destaca, ainda, o Projeto de Lei 106/2019, da Mesa Diretora, que veda a nomeação para cargos em comissão de funcionários comissionados que tenham sido condenados pela Lei Federal 11.340, Lei Maria da Penha, no âmbito do legislativo municipal.

De acordo com o vereador, a apresentação do PL atendeu à demanda apresentada pela Comissão de Defesa e Proteção dos Direitos da Mulher (COMDPDM)) e também de entidades da sociedade civil que militam na defesa dos direitos das mulheres.

Outras leis 

O parlamentar destaca também, outras leis semelhantes, já aprovadas em Manaus, que têm servido de parâmetro para outras casas legislativas de várias capitais e cidades brasileiras. 

“Há uma movimentação no Brasil inteiro, de casas legislativas e até prefeituras, pela aprovação de projetos que impeçam pessoas condenadas pela Lei Maria da Penha de ser nomeadas em cargos comissionados”, afirma Joelson Silva.

Com informações da assessoria

Leia mais

'Quero politicas publicas acessíveis à população', diz Paulo Trindade

Justiça Eleitoral convocará 30 mil mesários para o pleito no Amazonas

PM faz discurso emocionante após atender ocorrência de homicídio no AM