Fonte: OpenWeather

    Eleições 2020


    PSC não apoia prefeituráveis em Manaus e libera filiados para alianças

    Segundo a sigla, o motivo de não estabelecer alianças tem como objetivo proporcionar uma campanha eleitoral de amplo alcance a todos os envolvidos no pleito

    Para o presidente do PSC, a decisão é importante para que os candidatos levem o majoritário em suas comunidades
    Para o presidente do PSC, a decisão é importante para que os candidatos levem o majoritário em suas comunidades | Foto: Divulgação

    Manaus – Sem candidaturas majoritárias para disputar a sucessão de Arthur Neto (PSDB) na Prefeitura de Manaus, o Partido Social Cristão (PSC) decidiu que também não irá apoiar nenhum dos 11 candidatos que seguem na disputa pelo cargo do Executivo, deixando os candidatos ao cargo vereador livres para alianças. O anúncio foi feito por meio de nota oficial divulgada pelo partido nesta quinta-feira (24).

    No documento oficial, o PSC informou que o motivo de não estabelecer alianças tem como objetivo assegurar “justo tratamento isonômico” e proporcionar uma campanha eleitoral de amplo alcance a todos os envolvidos no pleito.

    “Após o encerramento do prazo legal para realização das convenções partidárias, esta agremiação partidária decidiu por não formalizar apoio a nenhum candidato majoritário, de forma isolada ou por meio de coligação com outros Partidos Políticos. Assim, no intuito de assegurar aos candidatos e candidatas do PSC o justo tratamento isonômico, e com o fito de proporcionar uma campanha eleitoral de amplo alcance a todos os envolvidos no pleito, esta comissão decidiu destituí-los da obrigação de seguir as diretrizes partidárias relativas ao apoio dos candidatos ao cargo de prefeito e vice-prefeito”, afirmou a nota do partido.

    Na decisão, o partido destacou ainda que os candidatos ao cargo de vereadores estão liberados para apoiarem qual candidato a prefeito quiserem nas eleições de 2020.  O presidente do PSC, Miltinho Castro, destacou que a decisão é importante para os candidatos para que eles tenham condições de caminhar e levar o majoritário em suas comunidades.

    “Como o partido não terá uma candidatura majoritária, nós vamos deixar livres os nossos candidatos para caminhar onde eles acharem melhor e tiverem condições de encorpar suas candidaturas. Isso é importante para os nossos candidatos. E nós, como partido, vemos que isso aí é fundamental para que os candidatos tenham volumes em suas candidaturas”, revelou Castro.

    Miltinho ressalta que o partido segue sem definição sobre quem vai apoiar. “Definimos que, como um partido em si, vamos estar neutros, mas os candidatos vão poder fechar alianças verbalmente de apoio com outras candidaturas majoritárias”.

    Conforme o presidente, o partido assume o compromisso de contribuir com a construção de uma nova Manaus, uma capital completamente diferente do que está sendo deixada. O propósito do PSC é trabalhar por um novo ambiente onde prevaleçam os interesses do povo conduzindo a cidade para evolução econômica, política, social e moral de sua história.

    Ao todo, o partido possui 62 candidatos a vereadores em Manaus, sendo 19 mulheres e 43 homens. São candidatos indígenas, portadores de deficiência, jovens, conselheiros, médicos, líderes comunitários, pastores, advogados, jornalistas, professores e entre outros representantes de diversos setores.

    Já nos municípios do Amazonas, o partido conta com 35 candidatos a prefeito do interior, sendo que sete deles tentam reeleição. Já em relação a candidatos a vice-prefeito, o PSC tem 13 nomes na disputa.

    *Com informações da assessoria

    Leia Mais:

    Alerj aprova impeachment de Witzel por unanimidade

    Especialistas alertam sobre declaração de bens de candidatos