Benefício


Deputada Joana Darc anuncia carteira para pessoas com deficiência

Joana Darc anuncia implementação das carteira de identificação das pessoas com deficiência e com autismo no Amazonas

A Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno e Espectro Autista (Ciptea) é fruto do requerimento n°4456/2020 de autoria da deputada Joana Darc.
A Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno e Espectro Autista (Ciptea) é fruto do requerimento n°4456/2020 de autoria da deputada Joana Darc. | Foto: Divulgação

Manaus - A Deputada estadual pelo Amazonas Joana Darc (PL) anunciou na manhã desta terça-feira (06) que a implementação das Carteiras de Identificação da Pessoa com Deficiência e da Pessoa com Espectro Autista.

Durante a sessão plenária a parlamentar informou que as carteiras ja estão regulamentadas e serão entregues nos próximos dias. "Fiz o requerimento solicitando ao Governo do Estado a rápida implementação da Carteira de Identificação da Pessoa com deficiência (Cipd) e a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno e Espectro Autista (Ciptea) e tive a resposta positiva de que a carteira já está regulamentada aguardando apenas a assinatura do Governador Wilson Lima e será entregue as pessoas cadastradas", anunciou Joana Darc.

A palamentar destacou a importância desta documentação para milhares de famílias. "As mães e familiares dessas pessoas não precisem andar com uma papelada enorme para comprovar sua deficiência ou autismo, isso já é uma grande conquista', apontou a deputada. 

A Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno e Espectro Autista (Ciptea) é fruto do requerimento n°4456/2020 de autoria da deputada Joana Darc.

A lei n°5.106/20, que cria a Carteira da Pessoa com Deficiência no estado do Amazonas (Cipid), é de autoria do deputado estadual Álvaro Campelo, e em setembro, a parlamentar apresentou o requerimento n°3455\2020 pedindo celeridade na implantação da Cipid à Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc)  

Estatísticas

Dados atuais dizem que no Brasil existem 6,7 % de pessoas que têm algum tipo de deficiência física, motora, mental, intelectual ou sensorial. Aplicado este percentual ao Amazonas, estima-se que quase 300 mil pessoas possuem algum tipo de deficiência, o que torna ainda mais necessária a efetivação de políticas públicas voltadas às PCDs.