Estratégia Política


Candidatos apostam na nomenclatura 'professor' para vencer eleição

A estratégia dos candidatos a vereador gera confiança do eleitorado e garante boa opinião pública, aumentando a possibilidade de eleição

Para o candidato, Jorge Roni disputar o cargo como professor é sinônimo de representatividade
Para o candidato, Jorge Roni disputar o cargo como professor é sinônimo de representatividade | Foto: Divulgação

Manaus - Como estratégia de campanha, candidatos ao cargo de vereador nas eleições deste ano, apostaram na nomenclatura 'professor(a)' para se identificar durante a campanha eleitoral. Em Manaus, das 1399 candidaturas que disputam as 41 vagas na Câmara Municipal de Manaus (CMM), 70 possuem a profissão no nome, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). As principais propostas destes candidatos são voltadas à educação, indicando ainda uma representatividade à classe e podem conquistar vantagem nas intenções de voto no pleito. 

Na última eleição para ocupar os cargos na Câmara Municipal de Manaus (CMM), em 2018, a preferência pela nomenclatura garantiu cerca de 10% das cadeiras aos educadores, com quatro vereadores eleitos: Professora Jacqueline (Podemos), Professor Samuel (PL), Professor Gedeão Amorim (MDB) e Professor Fransuá (PV), que compõem a Comissão de Educação. A identificação parte de um princípio popular, onde muitos são conhecidos pela profissão, e garante credibilidade, conforme afirma o candidato Professor Jorge Rone (PROS).

"A nomenclatura é por que me conhecem como professor e como professor estou candidato para representar a classe e com certeza aposto na educação. O que mais os professores querem é respeito, valorização e qualificação, e para melhoria na educação do município, proponho o incentivo à qualificação do professor, na progressão por títulos, alterar: produção científica ser, 25% pós, 50% mestrado e 75% doutorado", afirma o candidato.

São 1.331.613 eleitores aptos a votar nas eleições municipais deste ano, para os cargos de prefeito e vereador, de acordo com a Justiça Eleitoral. Para o analista político Carlos Santiago, a estratégia de marketing atrai eleitores pela imagem positiva representada pela profissão de educador, podendo garantir a opinião pública a favor do candidato e, consequentemente, sua eleição. 

"Quando um candidato coloca a palavra professor antes do seu nome, para disputar um pleito, ele está usando uma estratégia de marketing eleitoral, até porque a figura do professor na sociedade é uma figura simpática e isso agrega voto, apoiadores, e dá opinião pública. Assim como a figura dos policiais, médicos, enfermeiros. No momento em que há um descrédito com relação aos políticos, alguns que estão iniciando na carreira, acabam utilizando a sua profissão como uma estratégia", explica o especialista. 

Além disso, Santiago destaca que quando se tem a figura de profissionais como professor, policial e médico no debate político, significa que tanto a educação, quanto a segurança e saúde públicas estão precarizadas e quando isso acontece, aparecem os famosos profissionais de destaque, que são diferenciais dentro da sua profissão. 

Para a vereadora, os resultados da gestão para a educação são positivos
Para a vereadora, os resultados da gestão para a educação são positivos | Foto: Divulgação

Neste ano, os candidatos a vereadores estão divididos entre 30 partidos políticos, sendo os que apresentam mais candidatos o Democracia Cristã (DC), com 63, o Patriota, com 62, e o Partido da Mobilização Nacional (PMN), também com 62. Concorrendo a reeleição, a vereadora Professora Jaqueline afirma que o trabalho voltado à área da educação pode seguir diversas vertentes, causando força política à categoria e impacto direto em alunos e seus familiares. Ela afirma que os resultados do último mandato são positivos, principalmente com a avaliação da educação municipal no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). 

"Atuação nesta área da educação alcança desde a garantia de direito de averbação na Semed para profissionais da educação com tempo de trabalho para ser averbado e contado seja nas esferas estadual, federal ou particular. Ao currículo nas escolas municipais com a inclusão de temas transversais como Lei Maria da Penha, Alimentação saudável, noções de hospitalidade e turismo", destaca a vereadora. 

Leia mais

Contas 2019 do prefeito Arthur Neto são aprovadas pelo TCE-AM

Câmara aprova Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2021