Fonte: OpenWeather

    Pedido


    Mayara cobra plano de vacinação para profissionais da saúde no AM

    A deputada também cobrou abertura de hospitais de campanha, além do plano estratégico de vacinação para grupos prioritários, principalmente profissionais de saúde

     

    | Foto: Divulgação

    A presidente da Comissão de Saúde e Previdência (CSP), da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Dra. Mayara Pinheiro Reis (PP), cobrou um plano estratégico de vacinação para grupos prioritários, principalmente profissionais de saúde, durante audiência pública virtual realizada nesta terça-feira(12).Parlamentares, órgãos de saúde e de fiscalização participaram do debate sobre ações de enfrentamento à segunda onda da Covid-19 no Amazonas. 

    De acordo com a deputada, o Ministério da Saúde precisa respeitar o princípio de equidade do Sistema Único de Saúde (SUS) que assegura tratamento diferenciado para cenários diferenciados, a exemplo do Amazonas que já está na fase roxa da pandemia e não terá prioridade para a vacinação. 

    “Vou continuar fazendo pressão e dialogando com a bancada federal para que a gente faça com que o princípio da equidade, que também é previsto no SUS, seja respeitado aqui no Amazonas. A gente tá na fase roxa, fatalmente a nossa condição epidemiológica de acometimento por Covid-19 é diferente do restante do país, então a gente precisa ter prioridade. Nós precisamos fazer isso valer e também dar esse conforto para população do nosso estado. E a única medida eficaz, no estágio em que nós estamos, é a vacina”, pontuou. 

    A parlamentar disse ainda que a Comissão aguarda o plano de execução da vacina, que deve ser apresentado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM). Outra cobrança realizada foi em relação ao número de leitos que deveriam ser 1.112 na rede pública, na transição da quarta para quinta fase do plano de contingência, e até o momento o Estado ainda não atingiu a meta. A solução apresentada pela deputada é a ativação do hospital de campanha no Hospital Nilton Lins e também a criação de mais um. 

    “Precisamos dar maior celeridade. A importância dos hospitais de campanha, não tem mais como aguardar. Precisamos de datas para ativação de novos leitos no Hospital Nilton Lins. Precisamos, também, pensar na segunda via sobre outro hospital de campanha no estacionamento do Delphina Aziz. Precisamos que todas essas sugestões e alternativas sejam engatilhadas para entregar segurança que a população tanto precisa”, afirmou. 

    Durante o evento, o secretário da SES-AM, Marcellus Campêlo (SEM-AM), anunciou a chegada de onze novas usinas para o Amazonas para reduzir a falta de oxigênio aos pacientes com coronavírus. Questionado pela deputada Mayara sobre prazo para entrega, Campêlo afirmou que as usinas devem chegar na cidade e nos demais municípios do Estado até a próxima quinta-feira (14) para a instalação no HPS 28 de Agosto e outras unidades. 

    Atenção Primária

    A audiência pública contou com a participação da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA), responsável pela atenção primária no tratamento ao coronavírus. Como vem sendo veiculado, a secretaria tem priorizado o tratamento precoce que não possui comprovação científica. Para Mayara, as Unidades Básicas de Saúde (UBS) devem estar equipadas com testagem adequada, suporte laboratorial e medicações eficazes. 

    Com uma estrutura adequada nas UBS, os pacientes não evoluem para um quadro grave da doença e não sobrecarregam os prontos-socorros e hospitais. 

    A deputada destacou ainda a ideia de estudantes das universidades receberem treinamentos para compor equipes de profissionais da saúde. Alunos residentes atuariam na triagem e ajudariam no manejo precoce.

    Adiamento do Enem 

    A parlamentar fez um apelo ao titular da SES, Marcellus Campêlo, para que levasse ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) que acontece nos próximos dias 17 e 24 de janeiro. Devido à alta taxa de transmissão e infecção no estado, as provas devem ser adiadas pelo Ministério da Educação, a não ser que o Estado garanta uma estrutura eficaz que possa proteger os estudantes.

    “Todas estas questões são preocupações pertinentes da Comissão de Saúde e é minha preocupação enquanto médica e representante do povo.” afirmou.

    Com informações da assessoria*

    Leia mais:

    Mayara anuncia jornada cirúrgica no interior em parceria com hospital

    Condomínios serão obrigados a denunciar casos de violência doméstica

    Projeto que possibilita home office para PCS's é aprovado na Aleam