Fonte: OpenWeather

    Amazonas


    Instituto Butantan recebe deputado do AM em busca de vacinas

    A compra de 910 mil doses da vacina Coronavac para a vacinação em massa da população amazonense foi um dos temas discutidos ontem (09/02) entre o deputado estadual Fausto Jr. (MDB) e o diretor jurídico do Instituto Butantan, Paulo Capelotto.

     

    A reunião aconteceu na sede da Fundação Butantan, em São Paulo
    A reunião aconteceu na sede da Fundação Butantan, em São Paulo | Foto: Divulgação

    Manaus (AM) - A compra de 910 mil doses da vacina Coronavac para a vacinação em massa da população amazonense foi um dos temas discutidos ontem (09) entre o deputado estadual Fausto Jr. (MDB) e o diretor jurídico do Instituto Butantan, Paulo Capelotto. 

    De acordo com a assessoria do deputado, a reunião aconteceu na sede da Fundação Butantan, em São Paulo, onde o deputado disse que a Assembleia Legislativa do Amazonas pretende usar R$ 50 milhões, garantidos por meio de emendas parlamentares, para aquisição de vacinas contra o coronavírus.

    Aceleração de vacinas

    A medida é uma saída encontrada pelo governo para acelerar a imunização no País. Os Estados de São Paulo e Ceará também manifestaram interesse em comprar vacinas. Os imunizantes poderiam ser adquiridos de laboratórios do Brasil e exterior, desde que tenham autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Para a medida ser aprovada, precisamos que os governos do Amazonas, de São Paulo e o Ministério da Saúde entrem no diálogo”, explicou Fausto.

     

    “Para a medida ser aprovada, precisamos que os governos do Amazonas, de São Paulo e o Ministério da Saúde entrem no diálogo”, explicou Fausto.
    “Para a medida ser aprovada, precisamos que os governos do Amazonas, de São Paulo e o Ministério da Saúde entrem no diálogo”, explicou Fausto. | Foto: Divulgação

    Se a compra for aprovada, o Amazonas teria acesso imediato a 910 mil doses da Coronavac, garantidas com recursos da Aleam, destacou o deputado. “O Instituto Butantan é o maior fabricante de vacinas do Brasil. Por isso a negociação é tão importante neste momento de crise que passa o Amazonas”, acrescentou.

    O diretor do Instituto Butantan, Paulo Capelotto, disse que está acompanhando a situação vivida no Amazonas, e que a vacinação em massa é uma solução para conter o avanço da pandemia.

    Vacinação é urgente

    Com relatório em mãos sobre a imunização no Estado, Fausto explicou que até o último fim de semana o Amazonas tinha vacinado apenas 3% da população. "Após 21 dias de vacinação, conseguimos atingir 3% dos amazonenses. Isso significa que protegemos apenas 1% das pessoas a cada semana. Se continuarmos nessa velocidade, vamos demorar 100 semanas para vacinar 100% da população, ou seja, vamos demorar mais de dois anos para atingir o objetivo”, concluiu Fausto.

    *Em Tempo, com informações da assessoria

    Leia mais:

    Emoção marca retorno ao AM de pacientes recuperados da Covid-19

    60 mil m3 de oxigênio chegam a Manaus para dar suporte à rede hospital

    Governo pede à AstraZeneca rapidez na remessa de vacinas