Fonte: OpenWeather

    Amazonas


    Justiça pede ajuda evitar crise humanitária em Japurá, no Amazonas

    No pedido, o juiz da comarca solicita envio de equipamentos hospitalares e de cilindros de oxigênio, além de efetivo para ajudar na fiscalização das normas sanitárias que buscam reduzir a disseminação da covid-19 no município.

     

    Juiz Alex Jesus de Souza, titular da Comarca de Japurá (AM)
    Juiz Alex Jesus de Souza, titular da Comarca de Japurá (AM) | Foto: Acervo da comarca

    Manaus (AM) - O juiz Alex Jesus de Souza, titular da Comarca de Japurá (AM), expediu ofício nesta quarta-feira (10) aos Governos Federal e Estadual, solicitando apoio para evitar uma crise humanitária no município por conta do aumento de casos de covid-19. 

    No documento, o magistrado solicita ao Ministério da Saúde o imediato envio de equipamentos hospitalares, como ventiladores mecânicos; concentrador de oxigênio; aparelhos Bipaps; oxímetros; fluxômetros; vacuômetros; umidificadores de oxigênio; máscaras VNI e cilindros de oxigênio.

    Em outro trecho, solicita às Forças Armadas o imediato deslocamento de contingente para fiscalizar o cumprimento de normas sanitárias no Rio Japurá e na sede do Município.

    À Secretaria de Saúde do Estado, o juiz Alex Souza também solicita o envio de equipamentos hospitalares e cilindros de oxigênio; e à Secretaria de Segurança Pública do Estado foi pedido o envio imediato de dez policiais militares com a finalidade de fiscalizar o comprimento dos decretos Estadual e Municipal que definiram normas para o enfrentamento da pandemia.

    O juiz Alex Jesus explicou, ainda, que a solicitação em caráter colaborativo às instituições está embasada em informações enviadas pela Secretaria de Saúde do Município de Japurá, que atestou 700 casos confirmados de covid-19 até o momento e a insuficiência de cilindros de oxigênio, entre outros equipamentos e insumos, para cuidar dos pacientes.

    “O contexto de calamidade pública, vislumbrado no município de Japurá/AM, em verdadeira crise de caráter humanitário, prefigura um marcador metodológico das ações públicas a serem empreendidas, para enfrentamento do período de inflexão crítica da curva de disseminação da covid-19, na região, com redução da exposição a risco da população local”, frisou o magistrado.

    *Em Tempo, com informações da assessoria

    Leia mais:

    AM recebe oxigênio do Unicef e Opas para tratamento de pacientes

    Prefeitura de Manaus nega vacinação de agentes funerários

    AM recebe oxigênio do Unicef e Opas para tratamento de pacientes