Fonte: OpenWeather

    Luto


    Morre ex-procurador do AM Francisco Cruz, vítima da Covid-19

    Ele tinha 63 anos e estava internado há cerca de um mês em um hospital particular, mas não resistiu às complicações da doença

     

    Francisco contribui com justiça amazonense e exerceu o cargo de procurador geral da justiça
    Francisco contribui com justiça amazonense e exerceu o cargo de procurador geral da justiça | Foto: Divulgação/Secom

    Manaus (AM) - O ex-procurador-geral do Ministério Público do Amazonas, Francisco Cruz, morreu em Manaus, na madrugada desta segunda-feira (15), vítima de Covid-19. Ele tinha 63 anos e estava internado há cerca de um mês em um hospital particular, mas não resistiu às complicações da doença.

    Natural da cidade de Humaitá, interior do Amazonas, antes de ingressar na carreira ministerial, exerceu atividades de assessoramento jurídico na SUPLAN, advocacia privada e na chefia de gabinete da SUPLAN. 

    Interior do Amazonas

    Seu ingresso no Ministério Público do Estado do Amazonas, ocorreu em 1985, quando foi nomeado para o cargo de Promotor de Justiça de 1.ª Entrância, com exercício em São Gabriel da Cachoeira. No interior do Estado teve, ainda, exercício nas Comarcas de Santa Izabel do Rio Negro, Parintins, Urucará, Carauari, Barcelos, Humaitá e Eirunepé por meio de ampliação de atribuições.

    Capital do Amazonas

    Foi promovido para trabalhar em Manaus em  1987,, passando a exercer o cargo de Promotor de Justiça de 2.ª Entrância. Durante sua trajetória no Ministério Público também foi convidado por outros órgãos da Administração Pública.

    De 1990 a 1992, foi nomeado para exercer o cargo de Subprocurador-Geral do Município de Manaus. Em 1993, assumiu a titularidade da 11.ª Promotoria de Justiça, com assento no 2.º Tribunal do Júri Popular, dando início às suas funções ministeriais junto ao Tribunal do Júri da Capital. Em 2007, foi promovido para o cargo de Procurador de Justiça, com titularidade na 21.ª Procuradoria de Justiça

    Procurador Geral de Justiça

    .Em 2010 compôs a lista tríplice e foi escolhido pelo Governador do Estado para exercer o cargo de Procurador-Geral de Justiça do Amazonas. Em 2012, foi novamente escolhido pela classe e reconduzido ao cargo por mais dois anos, biênio 2012/2014. 

    Após sua passagem pelo mais alto cargo da Instituição, foi convidado, no final de 2014, pelo Governador do Estado do Amazonas, para exercer o cargo de Secretário de Estado Extraordinário de Relações Institucionais.

    Em seu retorno à Instituição, além das atribuições de seu cargo, assumiu a Coordenação do Centro de Apoio das Promotorias de Justiça Especializadas na Proteção e Defesa do Meio Ambiente, Patrimônio Histórico e da Ordem Urbanística CAO-MAPH-URB.

    Após sua aposentadora, Francisco Cruz  foi contratado como consultor e ombudsman do Grupo Diário de Comunicação - GDC, e passou a dedicar-se, também, à advocacia criminal.

    Prefeito de Manaus manifesta pesar

    O prefeito de Manaus, David Almeida, manifestou profundo pesar pelas mortes do ex-procurador-geral de Justiça, Francisco Cruz, 68. “Toda a minha solidariedade à família enlutadas do Dr. Francisco Cruz neste momento tão difícil. Que Deus o acolha e conforte os corações de todos os familiares e amigos. Seu legados jamais será esquecido”, disse o prefeito. 

    O ex-procurador deixa esposa, dois filhos e uma neta. O enterro deve ocorrer ainda nesta segunda-feira, no Cemitério Parque Tarumã, em Manaus.

    Leia mais:

    Ministro do STJ é internado com Covid-19 em Brasília

    Presidente do TRE-AM, Aristósteles Thury, morre vítima de Covid-19

    Prefeito decreta três dias de luto em homenagem ao desembargador