Fonte: OpenWeather

    Dinheiro público


    Obras atrasadas em Manacapuru geram suspeitas na gestão de D'Ângelo

    Além do flagrante desperdício de dinheiro público, reformas mal executadas atrapalham milhares de trabalhadores e estão cercadas de suspeitas de fraude em licitações

     

    A reportagem aguarda respostas do prefeito Beto D'Ângelo
    A reportagem aguarda respostas do prefeito Beto D'Ângelo | Foto: Reprodução

    Manacapuru -  Conhecida regionalmente como a ''Terra das Cirandas'', o município de Manacapuru, a 84 quilômetros de Manaus, se tornou um reduto de obras municipais inacabadas. Além do flagrante desperdício de dinheiro público, reformas mal executadas em pontos estratégicos para a economia local atrapalham milhares de trabalhadores e estão cercadas de suspeitas de fraude em licitações.

    Uma simples restruturação do Terminal Pesqueiro, iniciada ainda na primeira gestão do atual prefeito do município, Beto D'Ângelo (Republicanos), reeleito em 2020, teve a inauguração adiada pela oitava vezes consecutiva. Avaliada em R$ 316 mil, a reforma do terminal está paralisada, e não há perspectiva de quando será concluída.

     

    Conclusão da reforma no Terminal pesqueiro já foi adiada oito vezes.
    Conclusão da reforma no Terminal pesqueiro já foi adiada oito vezes. | Foto: Reprodução

    Com corrimãos e pisos enferrujados, e telhados danificados, os trabalhadores que atuam no local reclamam da péssima execução da obra.

    "Mais de quatro mil pescadores dependem desse terminal, e até agora nada aconteceu, estamos tentando melhorar [as condições de trabalho], por nossa própria conta, porque até agora nada de inaugurar", disse um trabalhador que utiliza o local para o desembarque de cargas pesqueiras.

     

    Terminal Pesqueiro está em péssimas condições.
    Terminal Pesqueiro está em péssimas condições. | Foto: Reprodução

    Para ser inaugurada corretamente, parte da reforma terá de ser refeita, o que representa um flagrante desperdício de dinheiro público. Além disso, os sucessivos adiamentos para a conclusão da reforma levantam fortes suspeitas de desvio de verba.

    Mercado Municipal foi ocupado irregularmente após demora da inauguração 

    Avaliada em mais de R$ 800 mil, outra reforma na região central do município também chama a atenção da população. Sem ser oficialmente reinaugurada pela prefeitura, o Mercado Municipal foi ocupado irregularmente por alguns feirantes que precisam obter renda e cansaram de esperar.

     

    Mercado Municipal ainda não foi oficialmente inaugurado.
    Mercado Municipal ainda não foi oficialmente inaugurado. | Foto: Reprodução

    "Primeiro foram os peixeiros, depois nós que vendemos produtos regionais decidimos ocupar também, porque a prefeitura ainda não inaugurou oficialmente, e já tem um bom tempo que eles falam que ela [a obra] está pronta, e nada", afirmou uma trabalhadora que preferiu não se identificar.

     Mesmo sem ter sido oficialmente inaugurada, a Prefeitura de Manacapuru afirmou que a obra já está pronta. Apesar disso, o prefeito Beto D'Ângelo publicou um aditivo, no final do mês passado, solicitando o adiamento da obra pela oitava vez, levantando outra suspeita de desvio de dinheiro público.

    Câmera dos vereadores

    Com o dever constitucional de fiscalizar e julgar as constas do Poder Executivo, a Câmara dos Vereadores de Manacapuru parece não estar muito atenta aos sucessivos atrasos das obras municipais.

    Segundo o vereador Tororó, o adiamento das inaugurações das obras é justificado pelo período pandêmico e do tempo chuvoso.

     

    Boxs inutilizados na feira.
    Boxs inutilizados na feira. | Foto: Reprodução

    "Esse período da pandemia tem sido difícil, as chuvas também estão atrapalhando, e isso não tem sido fácil, mas tenho a absoluta convicção que a prefeitura está fazendo de tudo para entregar essa obra para a população o mais breve possível", alegou o vereador.

    Denúncia

    O Ministério Público do Estado (MPAM) ofereceu uma denúncia contra o prefeito Beto D'Ângelo por fraude em licitações, ao Tribunal de Justiça do Amazonas. Se condenado, o mandato do atual prefeito poderá ser caçado.

    O que diz a Prefeitura de Manacapuru

    A equipe de reportagem do Em Tempo questionou o prefeito Beto D'Ângelo sobre as suspeitas em torno das obras no município. Assim que a resposta for obtida, a matéria será atualizada.

    Leia mais

    Após decisão judicial, Coari caminha para eleger novo prefeito

    Governo apresenta PL para a criação do Conselho Estadual de Cultura

    'Chega de frescura e mimimi. Vão chorar até quando?', diz Bolsonaro