Fonte: OpenWeather

    Contexto


    Bancada destaca Alessandra Campêlo na SEAS e Figueira na Aleam

    Grata às manifestações, Alessandra, que será substituída pelo ex-prefeito de Manacapuru Ângelus Figueira (PSC), assegurou que sua gestão na SEAS terá a marca da inclusão social

     

    Deputada Alessandra Campêlo e ex-prefeito de Manacapuru Ângelus Figueira
    Deputada Alessandra Campêlo e ex-prefeito de Manacapuru Ângelus Figueira | Foto: Divulgação

    Uma grande corrente de elogios permeou as manifestações de vários parlamentares situacionistas, ontem, na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM), destacando a ida da deputada Alessandra Campêlo (MDB) para a Secretaria de Estado da Assistência Social (SEAS).

    As manifestações, em apartes ao discurso de breve despedida de Alessandra do Parlamento Estadual, envolveram os deputados Dr Gomes (PSC), Belarmino Lins (PP), Roberto Cidade (PV), Saullo Vianna (PTB) e Adjuto Afonso (PDT), dentre outros que expressaram a confiança de que a parlamentar repita na SEAS o excelente trabalho realizado à frente da SEJEL (Secretaria de Estado da Juventude Esporte e Lazer) sob o governo Omar Aziz (PSD).

    Grata às manifestações, Alessandra, que será substituída pelo ex-prefeito de Manacapuru Ângelus Figueira (PSC), assegurou que sua gestão na SEAS terá a marca da inclusão social, priorizando a segurança alimentar e a geração de emprego e renda neste momento de pandemia e enchente no Amazonas.

    Grávidas

    Antes de deixar a Aleam, a deputada Alessandra Campêlo apresentou indicativo solicitando a vacinação imediata de mulheres grávidas, lactantes e puérperas que pertencem aos grupos prioritários contra a Covid-19.

    O documento foi direcionado à Semsa, Associação Amazonense de Municípios e à bancada federal do Amazonas no Congresso.

    O indicativo leva em consideração a Nota Técnica nº 1/2021-DAPES/SAPS/MS, do Ministério da Saúde, que concluiu pela recomendação da vacinação das mulheres de grupos prioritários, sobretudo as que apresentam comorbidades.

    PDL das bicicletas

    De autoria do senador Eduardo Braga (MDB-AM), o Projeto de Decreto Legislativo (PDL), que anula o decreto presidencial que castiga as fábricas de bicicletas da ZFM com uma absurda redução do Imposto de Importação, será votado amanhã no plenário do Senado.

    A votação deveria ter ocorrido ontem, mas acabou adiada para que o decreto do Palácio do Planalto seja revisado nesta quarta-feira (17) em reunião da Secretaria-Executiva da Câmara de Comércio Exterior (Camex) com a Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais (Secex).

    Bolsonaro se vacina

    Disposto a quebrar paradigmas em relação à campanha de imunização nacional contra a pandemia do coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro decidiu que se vacinará nos próximos dias.

    A informação é do jornalista a Guilherme Amado, da revista Época.

    Bolsonaro completará 66 anos no dia 21 de março e até lá vai aguardar na fila do SUS para ser imunizado. No Distrito Federal, a previsão é que a vacinação de pessoas entre 72 e 73 anos comece amanhã.

    Efeito Queiroga

    Nos bastidores do Congresso Nacional dizem que a adesão de Bolsonaro à vacina é consequência do “efeito Queiroga”, numa alusão ao novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, defensor da ciência e da celeridade no programa nacional de vacinação como forma de diminuir a pressão nos hospitais.

    Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, o ministro diz: “Quanto mais vacinados, menos doentes. “Temos um país continental e de múltiplas realidades. Não é preciso inventar a roda, basta colocarmos em prática tudo o que a ciência já nos mostrou que funciona”.

    União Química

    O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), integrará uma comitiva da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) que visitará a fábrica da União Química, produtora da vacina russa Sputnik V.

    Na segunda-feira (15), a Câmara dos Municipal de Manaus (CMM) concedeu autorização para David comprar vacinas para não deixar parar o programa de imunização da população da capital do Estado.

    Ajuda ao interior

    Da tribuna híbrida da Aleam, o deputado Belarmino Lins (PP) destacou a ajuda federal ao Amazonas em um dos momentos mais difíceis do Estado, às voltas com a pandemia da Covid-19 e uma enchente cada vez mais preocupante.

    Além de 300 mil cestas básicas a indígenas, pescadores, trabalhadores extrativistas e quilombolas, o parlamentar enfatiza a liberação de R$ 1.850 milhão, do Ministério do Desenvolvimento Regional, para Eirunepé, e de R$ 1.010 milhão a Envira, na Calha do Juruá.

    Conforme Belão, mais recursos federais serão liberados hoje também para todos os municípios situados na Calha do Purus, assolados pela enchente.

    Queimadas

    Dando asas a denúncias de internautas, o presidente da Aleam, deputado Roberto Cidade (PV), quer que a Semmas investigue a ocorrência de “queimada” em um lixão da cidade de Manaus.

    O lixão está localizado em uma área cedida à Paróquia Santa Rita de Cássia, entre a Avenida Dublin e a Rua Kampala, no bairro

    Campos Elíseos.

    A “queimada”, segundo Cidade, está causando sérios problemas de saúde devido ao grande volume de fumaça, agravando a incidência de doenças respiratórias entre os moradores da área.

    Campanha

    Determinado a erradicar a febre aftosa no Estado, o governador Wilson Lima dá celeridade à campanha de vacinação dos rebanhos contra a doença.

    Ele quer intensidade na campanha “Amazonas sem Febre Aftosa” em 41 cidades situadas nas calhas dos rios Amazonas e Solimões, que concentram 31,2% do rebanho de bovídeos no Estado.

    600 mil cabeças

    A meta do governo Wilson Lima, nesta primeira etapa de imunização dos rebanhos, é vacinar 600 mil cabeças de gado.

    A vacinação faz parte do processo de erradicação da doença, status que o Amazonas está perto de atingir e que traz como consequência uma série de benefícios para os pecuaristas em todo o Estado.

    “Improbidade”

    O Programa de Residência Jurídica (PRJ), da Prefeitura de Manaus, coordenado pela Procuradoria Geral do Município (PGM), realiza amanhã a aula sobre “Improbidade Administrativa: aspectos materiais e processuais”, ministrada pelo subsecretário de Assuntos Legislativos, da Casa Civil, Rafael Lins Bertazzo.

    O evento ocorrerá às 15h, via plataforma Google Meet, seguindo determinação do prefeito David Almeida para evitar aglomeração.

    Trombose

    Causou polêmica a suspensão do uso da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com o laboratório AstraZeneca em 16 países europeus.

    Casos de coágulos no sangue, gerando trombose em pessoas que receberam o imunizante, são as razões da suspensão.

    A aplicação da vacina está proibida nos seguintes países: Áustria, Estônia, Lituânia, Letônia, Luxemburgo, Dinamarca, Espanha, França, Portugal, Alemanha, Itália, República Democrática do Congo, Irlanda, Bulgária, Noruega e Holanda.

    Comendo abiu

    No Brasil, a Anvisa comeu abiu, afirmando não ver motivo, por enquanto, para suspender a vacina da Oxford.

    A Agência prefere aguardar o aprofundamento das investigações sobre os casos de trombose ocorridos na Europa supostamente vinculados ao imunizante.