Fonte: OpenWeather

    Animais


    PL de Joana Darc pune maus-tratos com multa de até R$ 50 mil

    Outra grande proposta de Joana é o Projeto de Lei nº 40/2021, que proíbe a realização de tatuagens para fins estéticos em animais no Amazonas

     

    A Lei Ordinária nº 5.408/2021, também criada por Joana, obriga os autores de maus-tratos a pagarem pelo tratamento veterinário da fauna vitimizada
    A Lei Ordinária nº 5.408/2021, também criada por Joana, obriga os autores de maus-tratos a pagarem pelo tratamento veterinário da fauna vitimizada | Foto: Divulgação

    No mês de prevenção à crueldade contra animais, a deputada e protetora dos animais Joana Darc (PL), destaca algumas propostas de sua autoria que visam punir e desestimular a violência contra a fauna no Amazonas.

    O Projeto de Lei (PL) nº 135/2021, determina sanção administrativa e multas que podem chegar a R$ 50 mil nos casos de violência que resultam na morte do animal.

    “Com essa proposta, o agressor vai pensar duas vezes antes de ferir um animal indefeso, porque além de preso, ainda vai pesar no bolso dessas pessoas”, justifica a deputada licenciada.

    Outra grande proposta de Joana é o Projeto de Lei nº 40/2021, que proíbe a realização de tatuagens para fins estéticos em animais no Amazonas. Para a parlamentar, a medida evita que muitos bichos sejam usados como cobaias em procedimentos que causam dor e sofrimento. “É de conhecimento público que as tatuagens, por mais simples que sejam, machucam. Os animais não merecem ser submetidos a esse sofrimento” afirma.

    A Lei Ordinária nº 5.408/2021, também criada por Joana, obriga os autores de maus-tratos a pagarem pelo tratamento veterinário da fauna vitimizada. “Todos os dias eu recebo dezenas de pedidos de ajuda, para animais que foram feridos e sofreram maus-tratos e para recuperar a saúde desses animais existe um custo e, nada mais justo, que fazer os autores desses crimes pagarem por esse tratamento”, justifica Joana.

    Para a deputada, a violência contra os animais deve ser combatida não só pelos protetores mas por toda a comunidade. 

    “Se uma pessoa é capaz de agredir, torturar e até matar um animal indefeso, ela também é capaz de fazer isso com o seu semelhante, por isso é de extrema importância que a população denuncie casos de maus-tratos”, disse.

     *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    'Vou brigar para que as coisas aconteçam', diz vereador Allan Campelo

    Parlamentares do AM buscam propostas para proteção ambiental

    Vereadora de Manaus usa plenário para criticar beijo de Gil e Fiuk