Fonte: OpenWeather

    Gasolina


    Vereador denuncia aumento simultâneo de preço da gasolina em Manaus

    Na ocasião, Rodrigo Guedes ainda destacou que irá fazer uma manifestação nas ruas de Manaus, ainda nesta semana

     

    | Foto: Divulgação


    Manaus - Após o aumento do preço da gasolina neste final de semana, que passou de R$ 5,59 para R$ 5,79, de forma simultânea, em todos os postos de combustíveis de Manaus, parlamentares do Amazonas demonstraram repúdio. Foi o caso do vereador Rodrigo Guedes (PSC), que realizou uma nova denúncia contra o aumento do preço da gasolina.

      Nesta segunda-feira (12), o vereador destacou que há a falta de uma ação de combate efetiva a este tipo de organização por parte dos órgãos criminais e que, diante disso, irá fazer uma manifestação, nas ruas de Manaus, ainda nesta semana.  

    Esta não é a primeira vez que o vereador denuncia esta ação coordenada, uma de suas principais lutas desde quando ainda era titular do órgão municipal de Defesa do Consumidor, o Procon. Guedes ressaltou que irá continuar atuando com seu poder de fiscalização para denunciar este tipo de ação. 

    "

    O mais inacreditável é os órgãos de competência criminal ainda não terem feito uma ação efetiva para combater isso. Como já disse também, há muito poder, dinheiro e influência no meio disso, é o mercado, entre todos, envolvendo as distribuidoras onde mais circula dinheiro. Essa semana iremos nos manifestar contra isso, vai ter manifestação por que não podemos 2,5 milhões de pessoas serem subjugadas a isso e isso afeta a todos, quem tem carro ou não e principalmente os profissionais do volante "

    , ressaltou

     

    Guedes afirma que esta prática é inadmissível e prejudica, além dos consumidores, o livre mercado, pois não há uma concorrência justa. “É óbvio que se aumenta no produtor (Petrobras), a tendência é aumentar no revendedor final, isso até um adolescente sabe, sei que o preço no Brasil inteiro está acima de R$ 5, o que contestamos é simplesmente ser o único local do Brasil, entre as capitais, que os preços são absolutamente iguais, alterando um ou a terceira casa decimal apenas. Porém, se baixar na Petrobras, não baixa nos postos e distribuidores”, afirmou o vereador.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    "PL da grilagem" inflama debates socioambientais na Câmara

    Criador do voto eletrônico em Manaus é contra impressão de cédula

    Barroso aponta crime de responsabilidade em discurso de Bolsonaro