Fonte: OpenWeather

    7 de setembro


    Sem liberação do Implurb, bolsonaristas confirmam ato na Ponta Negra

    EXCLUSIVO: Encabeçado pelo empresário Romero Reis, o ato ainda segue em análise do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), que negou qualquer liberação de vias para o dia 7 de setembro

     

     

    O Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) também afirma que não recebeu contato da organização do evento na Ponta Negra, ou até mesmo do Implurb para prestar apoio na questão logística do ato.
    O Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) também afirma que não recebeu contato da organização do evento na Ponta Negra, ou até mesmo do Implurb para prestar apoio na questão logística do ato. | Foto: Divulgação/Alisson Castro

    Manaus (AM) - Em meio ao clima de tensão envolvendo os três Poderes, manifestações a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), agendadas para o dia 7 de setembro, seguem sendo divulgadas por movimentos de direita pelo país. No Amazonas, por outro lado, os atos permanecem divididos em regiões diferentes da capital. A realidade é incerta, principalmente, para as manifestações que ocorrerão na Ponta Negra, zona Oeste.

      Nesta terça-feira (31), o EM TEMPO apurou que, apesar da confirmação dos organizadores do evento no bairro nobre da cidade, o Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) nega o acerto, comunicando à reportagem que o ato na Ponta Negra ainda está "sob análise". Encabeçado pelo empresário Romero Reis, o evento marcado para iniciar às 15h conta com grande adesão nas redes sociais.  

    No entanto, o próprio empresário Romero Reis afirmou em suas redes sociais que o evento recebeu as 'bençãos' do presidente do Implurb. "Acabei de falar com o presidente do Implurb e ainda hoje será expedida a nossa autorização para o evento na Ponta Negra. De uma forma muito ordeira e, logicamente, respeitando as medidas sanitárias contra a Covid-19", disse o ex-candidato à prefeitura de Manaus, no dia 24 de agosto. 

    Procurada pela equipe de reportagem, a assessoria do político também confirma que "está tudo certo". Ainda assim, o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) também afirma que não recebeu contato da organização do evento na Ponta Negra, ou até mesmo do Implurb para prestar apoio na questão logística do ato. 

    "Quem precisa realizar (ou não) a liberação para utilizar o espaço é o Implurb. Para nós do IMMU, não chegou nenhum contato solicitando apoio na questão de trânsito no local. Pode ser que no decorrer desta semana a gente receba alguma solicitação, pois ainda temos alguns dias para averiguar toda a situação", afirmou a assessoria do órgão.

    Entenda o 'racha' na direita manauara

    Ao mesmo tempo, outra reunião organizada pelo ex-candidato a prefeito de Manaus, Coronel Menezes,  e líderes da direita no Amazonas, como Sérgio Kruke, já está regularizada para ocorrer na Praça do Congresso, Centro de Manaus. Como destacado pela equipe de reportagem na última semana, os dois atos que ocorrerão no 7 de setembro em Manaus, visando demonstrar apoio ao atual governo, não conversam entre si. 

    Segundo os líderes, o ato reivindicará, principalmente, a "liberdade" que, segundo os apoiadores do presidente, está em perigo devido às ações recentes do Supremo Tribunal Federal (STF). Para Menezes, os eventos na capital deveriam 'conversar', porém os responsáveis pelo ato na Ponta Negra não se dispuseram ao diálogo. 

    "

    Não sei exatamente de quem partiu a decisão para que os eventos não se unissem. Certamente de alguém que não tem luz e deseja aparecer. A ideia principal era juntar os dois eventos, para mostrarmos o maior apoio possível ao presidente. A nossa liberdade está em xeque, temos que fazer algo "

    , disse, afirmando que sua proposta sempre foi de unir as manifestações.

     

    Já para Sérgio Kruke, líder do Movimento Conservador Amazonas, os participantes do ato realizado na Ponta Negra usarão a data simbólica como mero 'trampolim' político visando o pleito futuro. 

    "Somos totalmente independentes da outra manifestação. Nós descobrimos que os políticos aqui de Manaus querem usar o ato para palanque. Quem está se mobilizando para esse evento da Ponta Negra é o deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos), Capitão Carpê (Republicanos), Chico Preto (sem partido) e outros. Eles não estão com intuito de fazer o melhor para o Brasil", declarou. 

    Leia mais:

    Direita 'racha' em Manaus e 7 de setembro terá eventos separados

    Após reunião, Governo do AM garante emendas ao município de Tapauá

    Emmenor número, indígenas ainda acampam no DF contra Marco Temporal