Fonte: OpenWeather

    Fiscalização


    Comitê em Manaus vai monitorar manifestações no feriado

    O comitê também deve garantir a fiscalização de serviços essenciais que funcionarão durante as manifestações do dia 7 de setembro

     

    | Foto: divulgação

    Manaus (AM) - O Comitê de Enfrentamento de Crises do Município se reuniu, na manhã desta segunda-feira (6), no Centro de Cooperação da Cidade (CCC), para montar a operação de segurança durante o feriado de 7 de setembro, para monitorar e atender ocorrências em eventos, que vão acontecer na capital amazonense.  O encontro contou com a participação de vários órgãos da Prefeitura de Manaus como, Defesa Civil, Guarda Municipal, Manaustrans e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

    A criação do comitê é uma determinação do prefeito David Almeida, que considera o direito de manifestação livre da população, logo, os serviços públicos essenciais devem ser disponibilizados de maneira adequada, visando a segurança das pessoas. Neste feriado, até o momento, cinco eventos já foram confirmados em Manaus, sendo um pela manhã e quatro à tarde.

    De acordo com o superintendente do CCC, Sandro Diz, as ações do comitê serão de rotina nos grandes eventos da cidade.

    "

    A determinação do prefeito é que a cidade mantenha o direito do cidadão de ir e vir com segurança e principalmente, tendo o acesso aos serviços públicos essenciais. O CCC é a base do comitê, que garante por meio das câmeras de monitoramento e do Connect Center, o controle de demandas e ocorrências, mas principalmente uma pronta resposta quando necessária "

    , disse.

     

    Buscando a fluidez dos serviços e a cooperação entre os órgãos competentes, o Manaustrans vai operar com quase cem agentes de trânsito por turno, além dos atendentes virtuais, que receberão as demandas, via WhatsApp, e encaminharão para o agente mais próximo.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Casa Civil diz que jogadores argentinos entraram de maneira irregular

    PF prende Bolsonarista que relevou proposta pela morte de Moraes

    Bolsonaro edita MP que dificulta remoção de conteúdo da internet