Fonte: OpenWeather

    Direito da criança


    Comissão recebe denúncia de "aluguel de crianças" para mendicância

    De acordo com dados da Prefeitura de Manaus, até maio deste ano, foram registradas 69 denúncias de crianças nos semáforos, a maioria delas exploradas ou alugadas pelos próprios pais

     

    Ao verificar as denúncias, as equipes de abordagem social identificaram 42 famílias, 72 crianças e 8 adolescentes em situação de exploração e mendicância.
    Ao verificar as denúncias, as equipes de abordagem social identificaram 42 famílias, 72 crianças e 8 adolescentes em situação de exploração e mendicância. | Foto: Brayan Riker


    Manaus (AM) - Na última sexta-feira (03), foi realizada a terceira ação da campanha “Não dê dinheiro, dê futuro!”, de forma simultânea em oito pontos estratégicos da cidade. A iniciativa é da Comissão de Promoção e Defesa das Crianças, Adolescentes e Jovens da Assembleia Legislativa do Amazonas (CPDDCA-Aleam), presidida pelo deputado estadual, Álvaro Campelo (Progressistas), em parceria com Conselheiros Tutelares de Manaus.

      O objetivo da campanha é conscientizar a sociedade de que o aparente gesto de solidariedade de dar dinheiro para crianças e adolescentes, contribui para que eles sejam explorados, realidade esta confirmada durante a ação desta sexta-feira, quando foram feitas três denúncias, duas das quais, feitas por vendedores ambulantes, que preferiram manter sua identidades preservadas, por medo de represálias.  

    Conforme um dos denunciantes, um homem que fica no semáforo da Bola do Eldorado, além de levar os próprios filhos para o sinal, ainda aluga outras crianças para a mendicância. Caso resistam, são agredidas fisicamente.

    “A gente vai falar e dizem que o sinal não é nosso e ameaçam até com faca. Tem um cara que usa os dois filhos dele e traz mais duas crianças alugadas pra pedir. Cansei de ver a criança recebendo o dinheiro e quando o sinal abre, ele vai lá e toma tudo. Se elas se recusarem, ele sai dando lambada nelas, forçando pra que elas voltem pra pedir”, denunciou.

    O deputado orienta que as denúncias sobre qualquer tipo de exploração ou abuso contra crianças e adolescentes podem ser feitas ao Disque 100, aos Conselhos Tutelares ou para a Comissão da Aleam: (92) 99111-0112.

    "

    Compreendemos perfeitamente a situação de vulnerabilidade dessas famílias, mas que venham apenas os adultos para pedirem dinheiro nos semáforos. As crianças precisam estar na escola, ou brincando, não sendo exploradas. Nas ruas, elas estão correndo o risco de sofrerem um acidente, contraírem uma doença, ou de serem abusadas sexualmente. Precisamos contribuir para que elas tenham uma vida mais digna "

    , concluiu Álvaro Campelo.

     

    Comissão recebe denúncias que crianças estão sendo “alugadas” para pedir dinheiro nos semáforos

    De acordo com dados da Prefeitura de Manaus, até maio deste ano, foram registradas 69 denúncias de crianças nos semáforos, a maioria delas exploradas ou alugadas pelos próprios pais. Ao verificar as denúncias, as equipes de abordagem social identificaram 42 famílias, 72 crianças e 8 adolescentes em situação de exploração e mendicância.

    Leia mais:

    Tjam nega pedido de revisão criminal a Adail Pinheiro

    Câmaras Reunidas julgam revisão criminal de ex-prefeito de Coari

    "Não há clima para impeachment de Bolsonaro", avalia Mourão