Fonte: OpenWeather

    Eleições


    "Tenho apoio de Bolsonaro", diz Menezes sobre candidatura ao Senado

    No início de setembro, entretanto, o Coronel já havia sinalizado pré-candidatura às eleições para Governador do AM em 2022. Ele também confirmou que coordenará a campanha eleitoral de Bolsonaro

     

     

    Coronel Menezes reafirma o seu compromisso com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e com as alianças que o governo decidir fazer
    Coronel Menezes reafirma o seu compromisso com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e com as alianças que o governo decidir fazer | Foto: Divulgação

    Manaus (AM) - Nesta quarta-feira (15), em contato com a reportagem do EM TEMPO, o ex-candidato a prefeitura Coronel Menezes confirmou alguns pontos do seu projeto político juntamente ao governo federal para as eleições de 2022. Além de declarar pré-candidatura do Senado, o ex-chefe da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) também rechaçou as recentes notícias de que estaria fazendo articulações com o senador Eduardo Braga (MDB).

    Recentemente, veículos locais haviam confirmado uma suposta reunião de Coronel Menezes e Eduardo Braga na última sexta-feira (10) para discutir aliança e possível 'dobradinha' entre senado e governo. No entanto, Menezes afirma que não houve nenhum encontro e que seu projeto político é totalmente atrelado às decisões do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

    "

    No começo deste ano, definimos que eu seria pré-candidato ao senado. Em 2022 também vamos coordenar a campanha do presidente. Além disso, o projeto político do governo federal para eleição no Amazonas é termos um senador e dois deputados federais pelo partido que o presidente filiar-se. Não tem situação com o Eduardo Braga, qualquer aliança diz respeito apenas ao presidente, quem decide apoio 'B', 'C' ou 'D' é o Bolsonaro "

    , disse.

     

    No entanto, Menezes coloca-se à disposição para o diálogo "republicano" fazendo ressalvas a figuras ligadas ao movimento de esquerda.

    "Todo mundo pode conversar. Mas o que eu tenho de aliança é o meu trabalho visitando líderes comunitários, segmentos da sociedade, setores que já demonstraram apoio a minha candidatura. Estarei fazendo também algumas viagens no interior do Amazonas, conversando com prefeitos que também já acenaram positivamente, mas que no momento não posso nominar", declarou. 

    Postura no Senado

    Atualmente a bancada amazonense no Senado não possui parlamentares declaradamente governistas, apesar da recente aproximação de Eduardo Braga com o Planalto. Questionado pela reportagem sobre a sua postura num futuro mandato como senador, Menezes elenca vantagens que sua proximidade com o presidente traria ao Amazonas. 

    "

    O Estado do Amazonas precisa de um senador que tenha conexão com o governo federal. O presidente me conhece, sabe que eu conheço muito bem a região, que eu nasci no Amazonas. Então, pela proximidade que temos e por todo o meu currículo, levaremos de maneira excelente as demandas do Estado ao governo federal. O presidente vir até o Amazonas é sinal de prestígio, e nós que o convidamos todas vezes que ele veio aqui. Como senador, vou trabalhar pelos amazonenses ao lado do presidente Bolsonaro, pelas vontades e demandas da nossa população "

    , completou.

     

    Tensão entre bolsonaristas

    Em série de reportagens realizadas pelo portal EM TEMPO, as divergências entre figuras políticas declaradamente bolsonaristas no Amazonas foram evidenciadas pela realização de atos separados no feriado de 7 de setembro, além das declarações de organizadores dos atos no Centro - Zona Sul - e Ponta Negra - Zona Oeste. Para Menezes, tal divisão não existe, pelo fato do único representante de direita ser ele próprio. 

    Leia mais:

    Emenda da Aleam garante entrega de ambulância ao Hemoam

    Direito do consumidor é pauta de audiência pública na Aleam

    CPI aprova convocação de ex-esposa do presidente Bolsonaro

    Comentários