Fonte: OpenWeather

    Assembleia Legislativa


    Joana Darc solicita ao Governo cemitério e crematório para animais

    Segundo a deputada, a medida pode evitar a proliferação de doenças, visto que muitas pessoas recorrem a terrenos baldios ou até rios e igarapés por conta da falta de lugares adequados para o enterro dos pets

     

    | Foto: Reprodução


    Manaus (AM) - Preocupada com a destinação dos animais domésticos que morrem todos os dias no Amazonas, a deputada Joana Darc (PL), ativista da causa animal, solicitou ao Governo do Amazonas, a criação de um cemitério e crematório público de animais domésticos para atender a essa demanda.

    "

    Temos que considerar também a questão de saúde pública e ambiental, pois a oportunidade de enterrar o animal num local devidamente apropriado e adequado a este fim evita que as pessoas joguem os animais nos rios, nas ruas ou terrenos baldios. Isso evita a proliferação de vetores e doenças, diante da decomposição desses animais, em locais inadequados, preservando, com isso, a vida de outros animais e dos humanos "

    , defendeu.

     

    Dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a população estimada de cães e gatos, no Estado, era de 1.051.000 animais, sendo 727 mil cães e 324 mil gatos em 2013.

    De acordo com esses dados, no Amazonas, 575 mil domicílios tinham um cachorro ou um gato de estimação. Diante dessa realidade, a deputada Joana Darc faz o apelo ao Poder Público para que a solicitação seja atendida o mais breve possível.

    “Não podemos mais esperar tanto tempo para que as pessoas, principalmente as que não tem condições financeiras de realizar um enterro em local adequado a seus animais. Sabemos que muitas pessoas têm seus animais como membros da família e isso, faz com que queira dar um enterro digno”, pontuou.

    Procedimento

    O Poder executivo pode providenciar compra ou desapropriação de uma área para instalação do cemitério, em lugar previamente escolhido.

    Os serviços de cemitério e crematório podem ficar por conta do proprietário, com exceção de quando for comprovado estado de vulnerabilidade, quando os serviços serão fornecidos gratuitamente pelo Estado.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    De engraxate a 'rei' do império de Coari: a história de Adail Pinheiro

    URGENTE: Justiça barra construção de "puxadinho" na Câmara de Manaus

    "Sou o único apoiado por Bolsonaro", diz Menezes após racha na direita