Fonte: OpenWeather

    CPI


    Sefaz afirma que Amazonas Energia mentiu sobre dívidas do Governo

    Secretário da Sefaz/AM rebateu as afirmações dadas à CPI, pelo diretor técnico do Interior da Amazonas Energia, Radyr Gomes, que tanto os municípios, quanto o Estado, devem juntos à concessionária 1 bilhão de reais

     

     

    | Foto: Divulgação

     Manaus (AM) - A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Amazonas Energia da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) teve como depoente, nesta quinta-feira (18), o secretário de Estado da Fazenda do Amazonas (Sefaz/AM), Alex Del Giglio.

    Durante o seu depoimento, o secretário da Sefaz/AM rebateu as afirmações dadas à CPI, na terça-feira (16), pelo diretor técnico do Interior da Amazonas Energia, Radyr Gomes de Oliveira, que tanto os municípios, quanto o Estado, devem juntos à concessionária 1 bilhão de reais, o que, segundo Radyr, “dificulta o processo de investimento na geração e distribuição de energia para o Amazonas”.

    “Hoje, no meu sistema, eu não tenho nenhuma fatura em aberto da Amazonas Energia, na medida em que os órgãos empenham e liquidam a despesa, a gente paga automaticamente, isso com relação a todas as contas públicas, não só energia como também água. O que pode ocorrer é que  o órgão pode, eventualmente, não empenhar e liquidar uma certa despesa,   e aí a gente não tem acesso para fazer o pagamento”, rebateu o secretário da Sefaz/AM, Alex Del Giglio.

    “O número que eu tenho na Sefaz é algo em torno de 200 milhões em dívidas de contas de energia e tudo isso anterior ao ano de 2019. O que eu posso afirmar, categoricamente, é que o Estado do Amazonas, nesta gestão em especial, nunca pagou tanta conta de energia”, complementou Alex Del Giglio.

    Ainda conforme o secretário da Sefaz/AM, historicamente o Estado tinha uma inadimplência alta com a Amazonas Energia. “O que eu posso assegurar é que o Amazonas paga um grande volume de energia e de água, nesse governo”.

    O presidente da CPI da Amazonas Energia, deputado estadual Sinésio Campos (PT), disse que o depoimento de Alex Del Giglio foi bastante esclarecedor e observou que o “caloteiro” não é o Estado, mas, a Amazonas Energia.

    “Ao apresentar o pedido de CPI disse que o caloteiro sempre é um bom cobrador e o depoimento de Alex Del Giglio constatou isso. Quando Radyr, representando a Amazonas Energia, falou que a concessionária necessita de novos investimentos e que há uma pendência de dívidas por parte do Estado, ele estava se reportando às dívidas anteriores à privatização, privatização essa sobre suspeição tendo em vista que foi comprada por 50 mil reais”, finalizou o presidente Sinésio Campos.

    A população também pode participar da CPI da Amazonas Energia enviando denúncias por meio do e-mail [email protected], telefone (92) 98466-8350 ou ainda presencialmente na sala 408 da Aleam.

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    Governo segurou dados sobre desmatamento na Amazônia para após a COP

    Governo do Amazonas analisa novos voos saindo da capital

    Tramita no Senado projeto de lei que prevê baratear gasolina e botijão