Fonte: OpenWeather

    Investigação


    Câmara Federal pressiona por esclarecimentos de mortes Yanomami

    A Comissão de Direitos Humanos pede que o ministro da Justiça e da Segurança Pública dê explicações a respeito das mortes de crianças da etnia Yanomami

     

     

    | Foto: Divulgação

    Brasília - A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal realizou na noite desta quarta-feira (24) Audiência Pública que convocou o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Anderson Torres, para prestar esclarecimentos e apresentar explicações a respeito das mortes de crianças da etnia Yanomami, ocorridas na comunidade Macuxi Yano, na Terra indígena Yanomami.

    Durante o debate, o deputado federal Zé Ricardo (PT-AM) cobrou do Ministério da Justiça, da Polícia Federal, do Ibama e da Funai mais ações efetivas no enfrentamento desse grave problema e na defesa da vida da população indígena, como também atuação contra o possível garimpo ilegal no rio Madeira, denunciado nesta semana pelos moradores da localidade e a imprensa local, que vai afetar grande parte do território indígenas nessa região.

    O parlamentar também anunciou que vai entrar com pedido de investigação para apurar quem está financiando essa operação, os equipamentos e as máquinas caríssimas, que devem ter sido compradas por pessoas com interesse na destruição da Amazônia.

    “Não estamos vendo nenhuma atuação, medidas e resultados esperados da atuação desses órgãos federais na defesa dos direitos dos povos indígenas, isso é fato. Mas eu queria que o ministro pegasse um avião agora e fosse para o Amazonas, no Município de Autazes, no rio Madeira, e verificar as cerca de 300 balsas com equipamento de garimpo que se instalaram de forma rápida, mágica, de uma hora para outra na localidade. Estão fechando o rio Madeira, deixando os moradores da área amedrontados com possíveis violências e graves impactos ambientais”, denunciou Zé Ricardo.

    O deputado ainda falou ao ministro que é papel dele cobrar do Governo condições para atuação dos órgãos de defesa e controle.

    “É um absurdo dizer que não há recursos para esses órgãos atuarem. Senhor, ministro, se não tiver coragem de cobrar recursos do Governo, do qual você participa, para melhorar a atuação da Polícia Federal, é melhor pedir demissão”, disparou.

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    Carbono sufoca Amazônia e expõe danos de mudanças climáticas

    Grávidas ribeirinhas e a dificuldade para atendimentos médicos

    PF combate garimpo ilegal em terra Yanomami e encontra até barbearia