Moro


'Se houve irregularidade de minha parte, eu saio', diz Moro a Senado

O ministro da Justiça tem a expectativa de que os fatos sejam aclarados e que os responsáveis sejam identificados e punidos

Moro lembrou que já há uma investigação da Polícia Federal em curso, tratada como prioridade. | Foto: Divulgação

Brasília (DF) - Em sessão que dura mais de cinco horas na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, o ministro Sergio Moro negou que tenha cometido qualquer irregularidade nas conversas vazadas com procuradores da Lava Jato. “Se tiver alguma irregularidade da minha parte eu saio, mas não houve”, afirmou.

Os parlamentares presentes na sessão perguntaram se Moro pretende deixar o cargo, como aconselhou a Ordem dos Advogados do Brasil. Para o ministro, “o impacto inicial decorrente do sensacionalismo da divulgação do The Intercept geraram uma repercussão indevida, mas os fatos estão sendo colocados no lugar”.

O ministro da Justiça, Sergio Moro, disse em sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado esperar pela identificação e punição dos responsáveis por divulgar mensagens privadas. Para o chefe da pasta, é preciso “avançar nessa área de proteção cibernética”.

“Há fatos que incluem clonagem de aparelho celular do ministro da Justiça e tentativa de obtenção do conteúdo, embora não bem-sucedido, além do ataque aos procuradores”, comentou. Moro lembrou que já há uma investigação da Polícia Federal em curso, tratada como prioridade. “Claro que não é uma coisa singela dado o grau de profissionalismo desse grupo criminoso, mas tenho expectativa de que esses fatos sejam devidamente aclarados, essas pessoas identificadas e punidas”, completou.

Leia mais:

Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

Sérgio Moro: ‘Sempre agi conforme a lei’

Moro fala na CCJ do Senado sobre supostas conversas com Dallagnol