Fonte: OpenWeather

    Crise no Governo Federal


    Ministro Nelson Teich: 'a vida é feita de escolhas e eu escolhi sair'

    Nelson Teich, agora ex-ministro da saúde, disse nesta sexta-feira, em entrevista coletiva, que saiu após dar o seu melhor à frente da pasta. “A vida é feita de escolhas e hoje escolhi sair. Digo a vocês que dei o melhor de mim no período em que estive aqui.

    Teich ficou menos de um mês no cargo. Ele tomou posse no dia 17 de abril e pediu exoneração nesta sexta-feira, 15, após episódios públicos nos quais foi desautorizado pelo presidente Jair Bolsonaro
    Teich ficou menos de um mês no cargo. Ele tomou posse no dia 17 de abril e pediu exoneração nesta sexta-feira, 15, após episódios públicos nos quais foi desautorizado pelo presidente Jair Bolsonaro | Foto: Reprodução

    BRASÍLIA- Sem explicar as razões pelas quais pediu demissão do Ministério da Saúde, O ministro da Saúde, Nelson Teich, disse nesta sexta-feira, 15, em entrevista coletiva, que saiu após dar o seu melhor à frente da pasta. “A vida é feita de escolhas e hoje escolhi sair. Digo a vocês que dei o melhor de mim no período em que estive aqui. Não é nada simples estar à frente de um ministério desses num momento tão difícil”, afirmou. “Traçamos aqui um plano estratégico. As ações foram iniciadas e o plano deve ser seguido. Todo o tempo em que trabalhamos para passar por um momento como esse, todo o sistema [de saúde] é pensado em paralelo”, disse.

    Teich ficou menos de um mês no cargo. Ele tomou posse no dia 17 de abril e pediu exoneração nesta sexta-feira, 15, após episódios públicos nos quais foi desautorizado pelo presidente Jair Bolsonaro.  Ele vinha sendo pressionado para apoiar o uso da cloroquina em pacientes com sintomas leves de coronavírus.

    Na quinta-feira 15, em reunião com empresários organizada pelo presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf, Bolsonaro disse que iria liberar o uso do medicamento – cuja eficiência no tratamento da doença ainda é objetivo de controvérsia – mesmo à revelia de Teich.

    O ex-ministro vinha sendo questionado por médicos que lhe cobravam coerência em relação ao uso da cloroquina. Como especialista em oncologia, sempre condenou uso de medicamentos sem comprovação científica, algo que ocorre com frequência em tratamentos de pacientes com câncer.

    O presidente Jair Bolsonaro, sem ter nenhuma especialidade médica, insiste em pedir o uso da cloroquina para tratamento do coronavírus, com sintomas leves, o que contradiz as recomendações da medicina, já que tal indicação não e comprovada e pode colocar a saúde da população mais em risco. 

    Mais informações em instantes.